Magic Blog

Criar

Exibindo 1-20 de 102 itens.
  • Boletim dos Artesãos - Chegando a Ikoria

    Boletim dos Artesãos - Chegando a Ikoria

    por artesaosdomagic em 30/03/2020 - 39 Visualizações, 0 Comentários.

    Olá e sejam bem-vindos a mais um Boletim dos Artesãos, que contém tudo o que de mais importante acontece no mundo de Magic: the Gathering. Continuamos firmes no isolamento social, mas isso não significa que o Magic parou, pois Ikoria: Lar de Colossos já está chegando. Além disso os primeiros resultados dos Super Qualificatórios do Magic Online ajudam a ilustrar o estado do Pioneer. Vamos entender mais sobre tudo isso agora.



    Chegando a Ikoria



    Estamos oficialmente na semana de início dos previews de Ikoria: Terra de Colossos, então não se esqueça de sintonizar no canal oficial do Magic na Twitch na quinta-feira, dia 2 de abril, às 11:00 da manhã para ver as novidades em primeira mão, incluindo o trailer da coleção. Enquanto o dia não chega a Wizards divulgou mais algumas informações sobre o lançamento do set e da ficção que o acompanha.



    Começando pela notícia difícil, na última quinta, dia 26, a Wizards revelou uma série de mudanças nas datas de lançamento de Ikoria pelo mundo, mais uma consequência da pandemia do covid-19.



    Quanto ao lançamento físico a Wizards está adiando para 15 de maio o lançamento da coleção nas Américas, Europa, e vários dos países da região Ásia-Pacífico — Austrália, Nova Zelândia, Brunei, Indonésia, Malásia, Filipinas, Tailândia, Singapura, e Vietnam.



    Já para os demais países asiáticos, especificamente Japão, Coréia do Sul e China, Taiwan e Hong Kong, o lançamento está marcado para 17 de abril. Além disso, a Wizards está unindo as datas do pré e do lançamento oficial globalmente.



    Em comunicado a empresa disse: “Enquanto algumas partes do mundo se recuperam do covid-19, outras ainda lidam com números crescentes de casos, de forma que tivemos que aceitar que não podemos celebrar o lançamento de uma coleção da maneira uniforme com que estamos acostumados”.



    Todas essas datas ainda estão sujeitas a mudanças enquanto a situação está sendo monitorada e é muito importante se atentar que elas também se referem à disponibilidade dos decks de Commander que serão lançados junto ao set.



    No que consta às plataformas digitais, o Magic Arena e o Magic Online, nada muda e Ikoria: Lar de Colossus estará disponível para jogo no dia 16 de abril.



    Lançamentos de Ikoria



    Não ficaremos só com notícias ruins, no entanto, pois os detalhes da ficção que acompanha Ikoria: Lar de Colossos foram revelados e se trata de um ebook chamado Sundered Bond (“Vínculo Despedaçado”) e escrito por Django Wexler. Ele estará disponível a partir de 7 de abril por U$3,99.



    Essa é a segunda peça de ficção que Wexler escreve para o Magic. A primeira foi The Gathering Storm (“A Tempestade que se Forma”), prequela para o romance A Guerra da Centelha, que foi lançada de forma pouco usual tanto no formato, através de uma newsletter por email, quanto no momento de publicação, entre os dois livros de Greg Weisman, sendo que cronologicamente precedia ambos.



    De forma geral este último trabalho foi bem recebido e brilha em comparação com a recepção das publicações de Weisman. Ainda foi indicado que Wexler pode estar trabalhando em mais peças que serão publicadas pela Wizards no futuro, sinalizando que a empresa está satisfeita com o autor.



    Sundered Bond só será lançado daqui a uma semana, mas as pré vendas já estão disponíveis!



    Capa de Sundered Bond



    Pioneer Reajustado



    Já estamos há algumas semanas sem falar do caçula dos formatos Construídos, o Pioneer, de fato desde os Players Tour não o citamos, mas chegou a hora de corrigir isso. Depois de passar incólume por um anúncio de Banidas & Restritas, o formato encontrou um novo ajuste.



    O grande foco do formato no último período foi o bicho papão revelado nos Players Tour, Dimir Inverter. Na última vez que falamos dele o deck enfrentava grande oposição de um novo arquétipo pronto para tomar seu trono, o Lotus Breach. A aposta não vingou, no entanto, e ele acabou por manter e solidificar seu posto no topo do formato.



    O deck, que aposta no combo entre Inversor da Verdade e Oráculo de Tassa, foi logo cedo apelidado de Splinter Twin do Pioneer e aproveita de uma resiliência impressionante além da velocidade e até imprevisibilidade para realizar o combo. Assim foi grande o choque de parte dos jogadores quando nenhuma peça do deck foi banida no dia 9.



    Com o aviso de que o formato não sofreria mudanças até as, agora adiadas, Finais de Players Tour, os jogadores não tiveram escolha a não ser se acostumar com a presença intimidadora do deck, que neste momento tem um pouco mais de 15% do Metagame na página do MTGGoldfish, e se adaptar em torno dele.



    Para encontrarmos as respostas desenvolvidas pelos jogadores vamos procurar nos resultados de torneios do formato realizados no Magic Online recentemente, mais especificamente os novíssimos e recentes Super Qualificatórios da última semana, dos dias 21, 23 e 28 (2).



    Top 8 Super Qualificatórios



    Se usarmos Top 8 como critério de sucesso, o que é comum no Magic e suficiente para uma análise superficial, tivemos 9 pilotos de Dimir Inverter no mata-mata dos últimos 4 Super Qualificatórios, o que soma para cerca de respeitáveis 28%, bem característico de um arquétipo dominante e o que se esperaria de um tão temido.



    A oposição ao Inverter é também grande por sua vez, mas ao invés de se concentrar num salvador ou mesmo em alguns pilares, como acontece em muitos formatos, se pulverizou. Mesmo nessa descentralização quem comanda é outro combo, o Heliode, Coroa de Sol + Balista Ambulante, que depois de ficar de lado por algumas semanas, retomou o fôlego para se solidificar no formato, como vemos nos seus 12,5% nestes últimos torneios.



    Nenhum outro deck ficou acima dos 10%, em verdade temos mais 5 arquétipos empatados com um pouco mais de 6%, incluindo o Lotus Breach, que depois de todo o alarde no PT acabou caindo para o meio do formato. Os outros em maioria são decks Aggro que tentam finalizar os pontos de vida do oponente antes que ele possa estabelecer seu combo. É o caso do Mono-Red, que até ficou um pouco acima, Mono-Black, Gruul e Ensoul.



    Falando agora de decks mais recentes temos o Mono-Green Walkers indo por um outro caminho. O deck é em sua base um deck de Ramp, se aproveitando de Nyktos, Santuário de Nyx e Nissa, Abaladora do Mundo para conjurar mágicas pesadas como a Hidra Voraz, mas com a virada adicional de usar seus planinautas Vivien, Patrulheira do Arco Bestial e Karn, o Grande Criador para buscar criaturas gigantes, como Ulamog, a Fome Interminável, ou respostas situacionais, como Lodo Necrófago, diretamente do sideboard.



     



    Já acima desse bolo fica o que seria a atual terceira força do formato, o Sultai Delirium, que também fez sua revelação nos PTs ganhando o título em Bruxelas, como vimos aqui, e trabalha numa versão revisada de um sucesso do Standard. O deck ainda precisa encher seu cemitério para maximizar o uso de Emrakul, o Fim Prometido, Ishkanah, Viúva-do-cemitério e, mais importante, Atravessar Ulvenwald, mas agora também conta com  Uro, Titã da Ira da Natureza como uma ameaça extra saindo do cemitério.



    Esses são apenas alguns exemplos de decks viáveis, pois o formato ainda se expande muito, contendo, por exemplo, decks no espectro do controle, que teve apenas um representante nos torneios acima. Vamos acompanhar o desenvolvimento do Pioneer enquanto aguardamos o retorno de campeonatos físicos de alto nível como os Players Tour.



    Assim chega ao fim mais um Boletim dos Artesãos. Qual o seu deck preferido no Pioneer? Acha que o Inverter merecia um banimento? E o que espera de Ikoria? Está empolgado para conhecer os monstros desse plano? Sinta-se livre para nos contar usando a seção de comentários. Você também pode nos alcançar por nossa página no Facebook, Twitter ou Instagram. Obrigado pela leitura.



    Thiago Santos dos Artesãos do Magic


  • Boletim dos Artesãos - Magic em Tempos de Quarentena

    Boletim dos Artesãos - Magic em Tempos de Quarentena

    por artesaosdomagic em 23/03/2020 - 48 Visualizações, 0 Comentários.

    Olá e sejam bem-vindos a mais um Boletim dos Artesãos, que leva a você tudo o que de mais importante aconteceu no mundo do Magic: the Gathering. Como dissemos semana passada, os campeonatos físicos de Magic foram suspensos e muitos estão com saídas limitadas por causa da pandemia do covid-19. Sendo assim nada melhor do que anunciar algumas maneiras de jogar Magic do conforto da sua casa! Além disso, com os resultados dos Qualificatórios, os convites para o Invitacional da Coleção Básica de 2021 já foram definidos e o hype para Ikoria já começou! Vamos lá entender sobre isso tudo.



    Jogando Magic de Casa



    Para impedir o avanço do covid-19 vários locais pelo mundo adotaram restrições de movimentação e abertura de estabelecimentos. Em virtude disso muitos se vêem sem a possibilidade de sair de casa e talvez se encontrando numa situação com a qual não estavam acostumados. Pensando nisso a Wizards anunciou várias iniciativas em suas plataformas digitais, o Arena e o Magic Online, para facilitar esse período de alguma forma.



    Começando com as mais simples, o Salão dos Brigões, evento do formato Brawl que normalmente requer um custo de entrada, está aberto para todos os jogadores desde o dia 19, quinta-feira, e continuará assim pelo menos até dia 16 de abril. Ao atingir sua primeira vitória você ainda ganha uma cópia de Bladewing the Risen.



    Salão dos Brigões



    Ainda no Arena, na sexta-feira, dia 20, foram anunciados os FNM de Casa, eventos que vão integrar o jogo online com as lojas locais. Esses serão eventos gratuitos que acontecerão às sextas por pelo menos as próximas três semanas. A virada é que, depois de participar, você deve entrar em contato com sua loja local com uma captura de tela e ela é quem te envia o código com a premiação, que, no caso, são sleeves.



    Muitas lojas já tem ou estão formando suas comunidades online, e por vários canais, como Discord, Whatsapp e Facebook, então entre em contato com a sua para saber mais. Mesmo assim é importante saber que nem todas as lojas estarão participando e que, como os códigos são limitados, enviar a captura não garante os sleeves.



    Sleeves do FNM em Casa



    Saindo do cenáro casual e indo para o competitivo, a ChannelFireball anunciou os MagicFests Online, uma série de campeonatos que acontecerão pelo Magic Arena. Pagando U$25,00 você pode entrar num Qualificatório Diário e só por isso já recebe um cupom para um Draft em uma MagicFest física futura.



    Os jogadores que terminarem 5-1 ou melhor nos Diários passam para os Semanais, eventos maiores, de dois dias, com premiação total de U$25.000,00. O Top 8 desse torneio recebe convites para os regionais da Série 2 de Players Tours e o Top 32 avança para as Finais de Temporada.



    As Finais de Temporada são iguais aos Semanais em estrutura, mas com um aumento considerável na premiação, que soma U$50.000,00. Além disso os finalistas dessa etapa final recebem convites para as Finais de Players Tour da Série 2.



    Os jogadores da MPL e da Liga de Rivais foram convidados diretamente para os Semanais, então a competição será de alto nível. Os eventos terão cobertura em vídeo pelo canal da Channel Fireball na Twicth.



    MagicFests Online



    Mudamos de plataforma agora, vamos para o Magic Online, que, a propósito, baixou o preço do upgrade de conta pela metade, para U$4,99, nas próximas duas semanas. E lá também ganhamos uma nova maneira de se qualificar para os Players Tour, os Super Qualificatórios do Magic Online.



    Estes serão torneios regulares e abertos a todos os jogadores e com formatos variados entre Limitado e Construído. O custo de entrada é 40 Event Tickets, 400 Play Points ou 40 Magic Online Qualifier Points e há premiação em Play Points, Treasure Chests, sets completos e convites para Players Tours para os dois finalistas.



    São várias maneiras de se aproveitar o Magic e para vários gostos diferentes, além de um pequeno incentivo para não sair de casa a não ser que estritamente necessário!



    Convites para o Invitacional de M21 Enviados



    Como vimos aqui semana passada, o Invitacional de Ikoria foi cancelado e seus convites transferidos para o da Coleção Básica de 2021. E com o último Qualificatório Mítico acontecendo no Arena nas últimas semanas ficamos com a classificação definida para os convites por Pontos Míticos.



    No Qualificatório 20 jogadores conseguiram as 10 vitórias que os deram convites diretos, entre eles três membros da Liga de Rivais. Beatriz Grancha e Mike Sigrist conseguiram o feito com Jeskai Fires, enquanto Greg Orange foi a suas raízes sendo o único piloto de Azorius Control do campeonato.



    Se juntam a eles os 22 classificados pelo Qualificatório Mítico de janeiro mais 14 jogadores que garantem vaga por sua classificação em Pontos Míticos. O corte para a classificação foi claro e todos os jogadores com mais de 17 vitórias em Qualificatórios e Desafios dessa primeira etapa receberá um convite para o Invitacional.



    Quanto ao Standard de forma geral, todos os principais arquétipos continuam viáveis no cenário competitivo, incluindo o Mono-Red, que muitos diziam estar morto. Dessa forma vale a pena pegar o seu preferido e enfrentar a escada ranqueada do Arena neste fim de março para se classificar para o Desafio de Pontos Míticos de abril.



    Ikoria Vem Aí



    Finalmente temos uma data definida para o início da temporada de previews de Ikoria: Terra de Colossos, 2 de abril. Enquanto esperamos essas quase duas semanas, Mark Rosewater nos deu um gostinho do set por meio de seu Tumblr.



    Então sabemos que, entre outras coisas, Ikoria terá 12 tipos diferentes de contadores, o sétimo Ovo do Magic, criaturas com tipos completamente doidos como um Kraken Demônio, uma Lontra Elemental, Lontra sendo um tipo novo, um Esquilo Pesadelo, marcando a volta desses roedores à borda preta, e um Brushwagg, no que pode ser ou não um reprint de Brushwagg. E também um ciclo que os jogadores pedem por mais de uma década!



    A lista completa de curiosidades você pode ver aqui. Ikoria: Lar de Colossos tem lançamento marcado para 24 de abril.



    Assim fechamos mais um Boletim dos Artesãos. Novamente ressaltamos que previnir o avanço do covid-19 é de extrema importância. O momento de agora é crítico, mas vamos passar por ele, então se cuide e cuide dos seus. Mas o que você achou dos campeonatos de casa? Tem planos para jogar algum? E como está o hype para Ikoria? Sinta-se livre para nos contar usando a seção de comentários. Você também pode nos alcançar por nossa página no Facebook ou Twitter. Obrigado pela leitura.



    Thiago Santos dos Artesãos do Magic


  • Boletim dos Artesãos - Temporada Suspensa e Fetchs Reprintadas

    Boletim dos Artesãos - Temporada Suspensa e Fetchs Reprintadas

    por artesaosdomagic em 16/03/2020 - 42 Visualizações, 0 Comentários.

    Olá e sejam bem-vindos a mais um Boletim dos Artesãos, carregando tudo o que de mais importante ocorreu no mundo de Magic: the Gathering. Numa semana de anúncio de B&R, que, devido ao novo modelo, tínhamos certeza de que algum banimento ocorreria, pensaríamos que esse seria o assunto principal, mas ele foi logo ofuscado pela pandemia do covid-19 que atingiu com mais força ainda o Magic. Mas nem tudo são notícias ruins, pois teremos produtos novos empolgantes chegando às lojas. Vamos nessa!



    Magic Competitivo em Hiato



    Enquanto o avanço do covid-19 já havia impactado o Magic causando o cancelamento da MagicFest Turim, como noticiamos aqui, o verdadeiro golpe chegou semana passada, quando em uma série de anúncios a ChannelFireball, organizadora dos GPs e a Wizards cancelaram e reagendaram mais uma porção de eventos, colocando a atual temporada basicamente em suspensão.



    Na quarta-feira, 11, dia em que o covid-19 se tornou oficialmente uma pandemia, a ChannelFireball, mais uma vez por meio de seu Twitter, comunicou o cancelamento de todas as MagicFests que ainda ocorreriam neste mês, a MF São Paulo, que seria a única da América Latina no ano, a MF Louisville e a MF Detroit, apenas dois dias antes de sua realização, mais a MF Long Beach, que ocorreria em abril.



    MF 2020



    O anúncio não foi isolado nem dentro do Magic, com a StarCity Games também anunciando cancelamentos em seu circuito, nem fora, já que grandes eventos e ligas esportivas também anunciavam seus cancelamentos ou suspensões, como a NBA e a E3 nos EUA, e a UEFA Champions League na Europa.



    Sendo assim, estávamos apenas esperando o anúncio da Wizards para saber a extensão do abalo que seria causado. Não tivemos que esperar muito pois na quinta-feira, dia 12, a Wizards publicou seu comunicado, com mudanças significativas ao calendário da Temporada Parcial 2019-20. Então vamos por partes.



    Em primeiro lugar as Finais de Players Tour da Série 1, que ocorreriam em Houston de 24 a 26 de abril foram canceladas. Todos os jogadores classificados receberão convites para as Finais da Série 2, em Minneapolis, 9 a 12 de julho. O evento será, então, consideravelmente maior e receberá ajustes para acomodar sua nova proporção.



    Outro evento cancelado foi o Invitacional Mítico Ikoria: Terra de Colossos, que ocorreria de 14 a 17 de maio e os jogadores que já tinham convites para esse evento se qualificarão para o Invitacional de julho ao invés disso. Aqueles já classificados para o Invitacional de julho, por sua vez, migram seu convite para o Invitacional de outubro.



    Passando agora para os Players Tours regionais da Série 2, tivemos uma série de reagendamentos. A etapa referente à Europa passa de 30 de abril a 3 de maio em Copenhagen para Praga nos dias 29 a 31 de maio. A etapa das Américas foi realocada de Charlotte, 7–10 de maio, para Seattle, 5–7 de junho. Já a etapa Ásia-Pacífico foi suspensa sem novas datas e locais confirmados.



    Ainda sobre a Série 2 uma variante online desses eventos regionais foi criada e acontecerá dias 13 e 14 de junho no Magic Arena. O evento tem em vista os jogadores que possam não ser capazes de viajar até as localidades dos eventos físicos, assim como atuar como uma salva-guarda em caso de cancelamento de um dos eventos acima.



    Para ficar em par com a premiação dos eventos físicos, a variante online vai oferecer prêmios em viagens para as Finais em Minneapolis, além de, é claro, Player Points.



    Por fim, quanto às MagicFests ainda foi dito que a ChannelFireball avaliará os eventos caso a caso, acompanhando o desenvolvimento da situação. A organizadora aproveitou para cancelar também as MFs que acompanhariam os Players Tour em Houston, Charlotte e Kitakyushu e Copenhagen.



    Dessa forma, contanto tudo, a temporada profissional de Magic: the Gathering está suspensa pelo menos até o dia 22 de maio, para quando está marcada a MagicFest Toronto, no tocante aos eventos físicos.



    Como uma última nota, voltamos a frisar os cuidados necessários para previnir o avanço do covid-19. Lave bem suas mãos e com frequência, evite tocar no rosto com as mãos não lavadas, use um lenço de papel descartável para tossir ou espirrar e evite aglomerações e lugares fechados. Lembre-se que suas dúvidas podem ser respondidas pelo Ministério da Saúde e se cuide!



    Secret Lair e Spellbook para as Lojas



    Continuando a tendência de bons anúncios para as lojas iniciada na semana passada, tivemos dois produtos anunciados na sexta-feira, 13, em que elas serão a principal, ou única forma de aquisição. São eles o Secret Lair: Edição Ultimate e o mais novo lançamento na linha de Spellbooks, dessa vez com foco em Chandra.



    Começando pelo Secret Lair, Edição Ultimate inaugura mais uma modalidade nessa linha de produtos, diferentes dos Drops somente em método de distribuição, que passa da loja online da Wizards para as lojas locais. E estreia já vem com reprints muito pedidos: as cinco fetch lands de combinaçao inimiga.



    Fetch lands em Secret Lair



    Cada Secret Lair: Edição Ultimate conterá uma cópia não-foil de cada terreno, disponível a partir de 29 de maio nas lojas, com a limitação de 10 por estabelecimento, e essa será a única forma de comprar as cinco num conjunto. Depois elas estarão disponíveis como cartas adicionais em Drops, como os planinautas de Guerra da Centelha em estilo vitral, por exemplo.



    Um detalhe interessante é que foi dito que esse não será o único reprint de fetch lands neste ano. Com elas sendo julgadas muito fortes e causando problemas no Standard anteriormente, poucas opções sobram, entre Jumpstart, Commander Masters e mais Secret Lairs. Vamos aguardar!



    O segundo produto anunciado é Signature Spellbook: Chandra, que segue a fórmula de seus antecessores. Serão 8 cartas com arte e moldura especiais referenciando a planinauta mais uma foil extra. Já sabemos de duas das cartas que estarão presentes no produto, Chandra, Chama da Rebeldia e Passado em Chamas, que já são suficientes para nos deixar animados quanto às outras 6!



    Se especulava que Commander Collection: Green substituiria os Spellbooks como um produto direto para as lojas, mas parece que, felizmente, esse não é o caso.



    Signature Spellbook: Chandra estará disponível a partir de 26 de junho somente nas lojas locais.



    Cartas do Spellbook de Chandra



    Assim acaba mais um Boletim dos Artesãos. O que você achou do reprint das fetch lands? Gostou do anúncio de Signature Spellbook: Chandra? E o que acha da forma como a Wizards está lidando com a pandemia do covid-19? Sinta-se livre para nos contar usando a seção de comentários. Você também pode nos alcançar por nossa página no Facebook ou Twitter. Obrigado pela leitura.



    Thiago Santos dos Artesãos do Magic


  • Boletim dos Artesãos - O Arena em Março e Mystery Booster nas Lojas

    Boletim dos Artesãos - O Arena em Março e Mystery Booster nas Lojas

    por artesaosdomagic em 09/03/2020 - 53 Visualizações, 0 Comentários.

    Olá e sejam bem-vindos a mais um Boletim dos Artesãos, equipado com o que de mais importante acontece no mundo de Magic: de Gathering. Essa semana tivemos a publicação de mais um Estado do Jogo do Magic Arena que nos deu as direções para a plataforma não só para esse mês, mas adiantando algumas novidades. Além disso temos as foils de Mystery Booster e novas informações para as lojas WPN Premium. Vamos lá!



    O Magic Arena em Março



    Na quinta-feira, dia 5, a Wizards publicou seu artigo mensal sobre o Estado do Jogo do Magic Arena. Incluído entre os conteúdos estava o lançamento da Antologia do Histórico 2, que já havíamos comentado aqui na semana passada e todas as informações dadas anteriormente foram confirmadas.



    Expandindo sobre os objetivos dessa Antologia foi dito que, além de oferecer possíveis respostas para cartas que estão suspensas, ela faz acenos na direção dos lançamentos atuais, especialmente Theros, com um sub-tema de encantamentos, e também age como uma ponte para as coleções remasterizadas que devem chegar ao jogo ainda esse ano e fazem parte da expansão rumo ao Pioneer.



    Sobre essas coleções remasterizadas um pequeno ponto de confusão surgiu com o uso do termo Pioneer Masters no artigo, o que poderia ser uma alusão a um novo produto da série Masters. O mal entendido foi logo esclarecido, no entanto, tanto pelo perfil do Arena no Twitter, que disse que o termo se refere mesmo aos sets remasterizados já citados, quanto por Aaron Forsythe, diretor do R&D do Magic, que disse que não há planos para versões físicas dessas coleções.



    Mudando de assunto, foram mostradas novas formas de interação social na plataforma. A primeira, e mais importante, é a possibilidade de enviar mensagens diretas a jogadores da sua lista de amigos. A outra é a introdução de emotes responsivos “Valeu!” e “Foi mal!” que poderão ser usados em resposta aos “Boa!” e “Ops.” respectivamente.



    Mensagens Diretas no Arena



    Finalizando, fomos adiantados a chegada de mais um modo de jogo Limitado em abril com um Selado de Cubo que foi construído usando cartas que já estão na plataforma.



    Para quem não conhece a variedade, o Cubo é um formato onde uma lista de cartas curada é criada para o intuito do jogo Limitado e atrai muitos jogadores pelo alto nível de poder das cartas selecionadas, já que o conceito de raridade é abandonado.



    O modo mais usual de se jogar Cubo é com o Booster Draft, mas para que o formato seja divertido a opção de draft de 8 pessoas, sem uso de bots, deve ser introduzida, segundo a equipe de desenvolvimento do Arena, então teremos que esperar um pouco.



    Um detalhe importante sobre o Selado de Cubo é que ele será o primeiro modo de jogo “fantasma” a ser adicionado no Magic Arena, ou seja, após o evento as cartas não serão adicionadas à sua coleção, o que segue a linha dos eventos encontrados no Magic Online.



    Os detalhes sobre o evento, como custos, premiações e período disponível serão revelados mais tarde, mas já temos o suficiente para ficarmos empolgados!



    Selado de Cubo no Arena



    As novidades acima, com exceção, claro, do Selado de Cubo, chegam ao Magic Arena no update de 12 de março.



    Novas Vantagens WPN Premium



    A Wizards anunciou novas vantagens interessantes para suas lojas WPN Premium que incluem premiações muito valiosas.



    A primeira delas é a prerrogativa de organizar um Campeonato Premium: Ikoria, um torneio de Standard exclusivo para as lojas Premium ligado ao lançamento da coleção Ikoria: Terra de Colossos. O torneio pode vir num bom momento para o formato, que foi reconfigurado graças à Theros: Além da Morte e está em uma situação muito saudável.



    A grande premiação para o Campeonato Premium: Ikoria é nada mais nada menos que uma coleção completa não-metalizada de Ikoria: Terra de Colossos. O prêmio só inclui as cartas de arte normais encontrados em boosters de draft, ou seja, nada de Showcase ou promo de Buy-a-Box, mas mesmo assim é de um valor absurdo.



    Ikoria: Terra de Colossos



    A segunda vantagem não está vinculada a nenhum campeonato ou lançamento de coleção, mas é um item muito especial, uma cópia dos lançamentos de 2020 de Secret Lair.



    Os drops de Secret Lair estavam disponíveis até agora pela loja oficial da Wizards, vendidos apenas por 24 horas, no entanto, isso indica que eles chegarão às lojas neste ano e as lojas Premium receberão uma cópia sem ser necessária a inscrição. Isso significa que talvez eles possam finalmente chegar ao Brasil por meios oficiais.



    Para que uma loja receba essas vantagens ela precisa receber status Premium até 7 de abril.



    Lembrando rapidamente quais são os requisitos, uma loja precisa de 60 jogadores engajados, ou seja, que participam de torneios regularmente, e 20 jogadores ativados, que são jogadores novos que passaram a frequentara loja e se inscrever em eventos.



    O localizador da Wizards dá destaque às lojas Premium, então é fácil saber se há uma na sua vizinhança. Mesmo assim entre em contato com as lojas da sua área, talvez você seja o empurrãozinho rumo à WPN Premium.



    Mystery Booster Chega às Lojas



    Continuamos falando das lojas, pois os Mystery Boosters chegam a elas nessa semana, disponíveis para venda a partir do dia 13. Já cobrimos esse produto aqui desde seu anúncio até sua chegada às convenções, mas agora ele chega em sua versão de lojas, bem mais acessível aos jogadores.



    Para quem não se lembra Mystery Boosters um produto formado integralmente por reprints, massivos 1815 deles, e inspirado nas variantes de Draft, como os Cubos e o Caos Draft, ou seja, voltado para o Limitado.



    Como sabemos, os boosters da coleção tem uma posição especial, que na versão de convenção é ocupada pelas “cartas de teste” e na versão de lojas é ocupada por cartas foil. Nesta quinta foi disponibilizada a lista das 121 cartas que podem ser encontradas nessa posição com inclusões muito interessantes. Uma nota é que todas essas cartas já foram impressas em foil antes.



    Liderando a lista em valor temos as Trigêmeas Sen, Minamo, Escola à Beira dÁgua, Scourge of the Throne, Alarme de Intrusos e Rei Ceifador. Essas cartas têm dois fatores muito importantes em comum, que foi mantido em mente para toda a seleção: são cartas com boa demanda, especialmente no Commander, e com poucas impressões.



    Cartas Foil de Mystery Booster



    Analisando a lista completa por preço temos um valor sólido adicionado aos boosters. Por outro lado a impressão deve significar um abatimento no preço das versões foil dessas cartas, o que é muito bom também, por motivos de facilidade de acesso.



    Se você está curioso com Mystery Booster, a coleção foi draftada no Weekly MTG, então você pode ter um gostinho da experiência. Depois disso só esperar o produto chegar na sua loja.



    Assim concluímos mais um Boletim. De qual novidade você mais gostou no Magic Arena? Tem alguma loja Premium perto de você? E você vai participar de algum Draft de Mystery Booster? Sinta-se livre para nos contar usando a seção de comentários. Você também pode nos alcançar por nossa página no Facebook ou Twitter. Obrigado pela leitura.



    Thiago Santos dos Artesãos do Magic


  • Boletim dos Artesãos - Nova Antologia e MF Turim Cancelada

    Boletim dos Artesãos - Nova Antologia e MF Turim Cancelada

    por artesaosdomagic em 02/03/2020 - 105 Visualizações, 0 Comentários.

    Olá e sejam bem-vindos a mais um Boletim dos Artesãos, arrematado com o que de mais importante aconteceu no mundo de Magic: the Gathering. Na edição de hoje temos novidade no Histórico com a Antologia do Histórico 2, alguns resultados do Desafio de Pontos Míticos desse fim de semana e uma MagicFest cancelada. Vamos às notícias.



    Desafio de Pontos Míticos Esquenta as Corridas



    Neste último sábado tivemos o Desafio de Pontos Míticos de fevereiro ocorrendo no Magic Arena, o primeiro do ano. Puderam participar qualquer jogador que esteve entre os melhores 1200 do ranque Construído ou Limitado de outubro do ano passado a janeiro desse ano, além dos integrantes da Liga de Rivais e da MPL.



    Embora possa parecer um evento pequeno, os Pontos Míticos premiados pelo Desafio carregam muito peso, já que os Players Tours só voltam em abril e ainda estamos longe do Invitacional de Ikoria, em maio, então uma boa performance aqui pode impulsionar os jogadores das ligas para o topo da classificação, ou mesmo salvar da zona da degola.



    Já para os jogadores que não estão em nenhuma liga o Invitacional é o maior atrativo em foco. Os jogadores com mais Pontos Míticos nesse primeiro trimestre serão convidados para o evento e, chegando lá, eles estão a uma performance de agarrar posição em liga na próxima temporada.



    Sem os resultados oficiais do evento, dependemos dos reports individuais de cada jogador e para acompanhar a classificação das ligas. Enquanto o site oficial não é atualizado, contamos com o trabalho do usuário do Twitter jpball5, que compila tudo em uma planilha de fácil acesso.



    Vários jogadores da MPL alcançaram as 10 vitórias, número máximo do evento. Em destaque, está o japonês Ken Yukuhiro que se solidificou na ponta da liga. Em situação oposta estava Márcio Carvalho, que há algumas semanas disputava a final do Mundial, como contamos aqui. Voltando das férias ele conseguiu os pontos que o devolvem à zona de permanência com um Jeskai Fires.



     



    Entre os Rivais, o destaque vai para Matthew Nass, que conseguiu o número máximo de vitórias no segundo Desafio consecutivo e uma sólida vantagem sobre os outros competidores. Greg Orange, Luis Scott-Vargas e Stanislav Cifka são os jogadores que estão em sua cola e os três conseguiram seus pontos neste fim de semana.



    A disputa continua com o Qualificatório Mítico em março, que corresponde à temporada ranqueada de fevereiro. Para além dele aguardamos os grandes torneios, Players Tours e Invitacionais, que é onde o grosso dos Pontos Míticos estão.



    Medo do Covid-19 Cancela a MagicFest Turim



    A ChannelFireball, que detém o monopólio na organização dos MagicFests - os eventos onde ocorrem os populares Grand Prixes - anunciou na sexta-feira, dia 28, que está cancelando o MagicFest Turim, na Itália, que ocorreria de 3 a 5 de abril. O motivo é o medo pelos casos do novo Corona Vírus, o Covid-19, registrados no país.



    “Estamos acompanhando a situação na Itália de perto e, em razão de uma abundância de cautela, estamos cancelando o MagicFest Turim” disse a empresa em comunicado. Eles adicionaram que outras datas e cidades europeias estão sendo exploradas e que qualquer compra já feita será reembolsada.




    A Itália tem 1.694 casos de covid-19 no momento em que escrevemos o artigo, o maior número fora da Ásia, com 34 mortes registradas. O vírus, que se originou em Wuhan, na China, país que já registra mais de 80.000 casos, é causador de infecção respiratória cujos sintomas mais comuns são tosse e febre e é transmitido pelo ar e contato humano.



    O Brasil também tem casos de covid-19 confirmados, então é importante reforçar a necessidade de medidas preventivas. O Ministério da Saúde recomenda que se lave bem suas mãos e com frequência, evitar tocar no rosto com as mãos não lavadas e usar um lenço de papel descartável para tossir ou espirrar.




    Voltando ao Magic, o MagicFest Lion, de 6 a 8 de março na França, está confirmado até o momento, e o país tem 130 casos. Seguindo o calendário, os próximos eventos na Europa e Ásia são os Players Tours regionais em maio, mas o vírus também está se desenvolvendo aqui nas Américas, então nada é garantido. Acompanharemos por aqui que outros impactos ele pode trazer aos eventos de Magic.



    Antologia do Histórico 2 chega ao Arena



    Também no dia 28 a Wizards revelou a Antologia do Histórico 2, que deve chegar ao Magic Arena em 12 de março. 25 novas cartas chegam ao formato junto com os modos de jogo ranqueados, tanto melhor-de-3 quanto jogo único. Esses modos devem ficar disponíveis de 12 de março a 16 de abril.



    As cartas da Antologia Histórica 2 podem ser adquiridas pelo uso de Wildcards ou compradas na loja. O bundle com um playset (quatro unidades) de cada carta será vendido por 4.000 gemas ou 25.000 de ouro. O preço é um pouco superior ao da primeria Antologia, vendida por 3.400 gemas ou 20.000 de ouro, o que pode ser explicado pelo acréscimo de cartas nesse lançamento, a Antologia 1 tem 20 cartas.



    Antologia do Histórico 2



    As cartas, novamente, variam muito dentro da Antologia. Temos cartas que sinergizam com o Standard atual, como Carneiro Velocino-de-Nyx e Insígnia do Trono Vazio, um “senhor”, ou lord, que pode elevar uma tribo em Reejerey Sirenídeo e também só cartas simplesmente poderosas, como Mago Interferidor.



    Thalia, Guardiã de Thraben é o destaque da Antologia, não só por ser talvez a melhor carta do bando, mas por ganhar um Drop de Secret Lair com quatro artes diferentes e inéditas para comemorar o lançamento. O drop, além das cartas físcas, claro, inclui um código para o Arena com estilos das artes novas e também um sleeve.



    Secret Lair Thalia: Além da Câmara Infernal será vendido dia 12 de março por U$29,99. Infelizmente o Brasil ainda não está entre os países em que a entrega está disponível.



    Secret Lair Thalia



    Assim acaba mais um Boletim. Qual das cartas da Antologia do Histórico 2 você acha que causará maior impacto? Qual das novas artes para Thalia é sua preferida? E o que você está achando da temporada parcial profissional de Magic até agora? Sinta-se livre para nos contar usando a seção de comentários. Você também pode nos alcançar por nossa página no Facebook ou Twitter. Obrigado pela leitura.



    Thiago Santos dos Artesãos do Magic


  • Boletim dos Artesãos - Jumpstart, Formatos dos PTs e Arena no Mobile

    Boletim dos Artesãos - Jumpstart, Formatos dos PTs e Arena no Mobile

    por artesaosdomagic em 24/02/2020 - 68 Visualizações, 0 Comentários.

    Olá e sejam bem vindos a mais um Boletim dos Artesãos, finalizado com o que de mais importante acontece no mundo de Magic: the Gathering. Depois de três semanas intensas de competição com quatro campeonatos importantíssimos, os Players Tours regionais e o grandessíssimo Mundial de Magic, vamos poder finalmente nos acalmar um pouco. Isso não significa que ficamos sem novidades, pois um novo produto foi anunciado e informações sobre os próximos PTs reveladas. Então vamos a elas.



    Magic Temático com Jumpstart



    Na última quinta-feira, dia 20, a Wizards anunciou mais um produto. Jumpstart é uma coleção de boosters que chega em 3 de julho e tem algumas características que garantem que ela não será confundida com nenhuma outra coleção até então. A primeira delas é que Jumpstart não foi feita para ser draftada.



    Jumpstart



    Os boosters de Jumpstart são diferentes dos boosters de dratft que estamos acostumados. Eles vêm com 20 cartas e todas elas são focadas em um tema específico. Os temas são variados, indo de conceitos simples, como “Piratas”, a alguns mais curiosos, como “Doutor”. Não sabemos ainda todos eles, mas sabemos que, incluindo todos os temas e suas variações, será possível encontrar 121 listas de 20 cartas nos boosters da coleção.



    Para se jogar Jumpstart é muito simples, basta pegar dois boosters da coleção e combiná-los, formando assim um deck único. Assim você pode acabar com um deck de Garruk Phyrexiano ou ainda Unicórnios Piratas! São muitas possibilidades.



    Os temas dos boosters serão aleatórios, mas discretamente visíveis, de forma que tanto quem procura um tema específico, quanto quem quer uma experiência sem saber nada serão atendidos. Além disso, 1 a cada 3 booster terá uma rara extra e todos têm, é claro, terrenos básicos que combinam com o tema.



    Quanto ao conteúdo da coleção, sabemos que ela estará recheada de reprints, que somam mais de 500, e que a ela, embora seja um produto por si só, está bem integrada com a Coleção Básica de 2021. Além dos reprints teremos 37 cartas inéditas, que serão legais em Legacy, Vintage e Commander.



    Jumpstart chega às lojas em 3 de julho com eventos de pré-lançamento em 20 e 21 de junho



    Formatos dos Players Tours de 2020



    Os Players Tours regionais da Série 1 foram um sucesso e, embora suas consequências para o Pioneer continuem rendendo discussões, é hora de olhar para as próximas competições. Assim a Wizards, na sexta-feira, dia 21, revelou os formatos que serão usados em todos os PTs e Finais de 2020.



    Começando pelo mais próximo, as primeiras Finais de Players Tour do novo sistema, que acontecem em Houston de 24 a 26 de abril, usarão um duplo Construído como formato, com Standard e Pioneer.



    Vale nota a estrutura do campeonato, que divide igualmente os formatos na etapa de suíço e inova com os formatos revezando entre partidas na parte de mata-mata, mas falaremos mais sobre isso quando nos aproximarmos do evento.



    A introdução do Standard no campeonato de Houston não é um mero capricho. O formato retoma seu lugar como foco do Jogo Competitivo, pelo menos na versão física, e estará em todos os Players Tour das Séries 2 e 3, incluindo as Finais.



    Formatos Séries 2 e 3



    Na Série 2 um outro formato Construído dividirá os holofotes com o Standard, o favorito dos fãs, Modern. A decisão foi comemorada por alguns, certamente pelos adeptos dos formatos em questão, mas criticadas por outros pela falta de um formato Limitado na Série.



    Um dos pontos que pode ter levado a essa mudança é o recente declínio da popularidade da cobertura em vídeo dos campeonatos, sendo que as rodadas de Limitado sempre foram tímidas nesse quesito. Na contra-mão, tivemos uma das melhores coberturas de Limitado já vistas no Mundial da última semana e o formato é uma parte importante para os profissionais do jogo. Vamos ver quem ganha essa queda de braço.



    De qualquer forma, o Limitado retorna ao foco na Série 3, com Draft de Ascensão de Zendikar dividindo espaço com o Standard, isso pelo menos para os eventos regionais, já que as Finais ficam para 2021.



    Não temos dúvida de que Magic de alto nível será disputado nestes campeonatos. Esperamos que os formatos e estruturas escolhidos rendam um bom espetáculo!



    Inovações no DreamHack



    Continuando nessa pegada de Jogo Competitivo, tivemos o DreamHack Open Anaheim neste fim-de-semana, um dos campeonatos terceirizados pela Wizards, mas com grandes prêmios, nesse caso U$30.000 e vaga direta para Invitacional Mítico Ikoria.



    Pulando direto para o final, tivemos um Top 4 muito interessante, composto pelos jogadores número 1, Aaron Gertler, e 2, Mani Davoudi, atualmente nos ranques do Magic Arena e pelos jogadores número 1, Allen Wu, e 2, Austin Bursavich, no projeto ELO de Magic, considerando os campeonatos físicos.




    Gertler e Davoudi no Top 4
    Mani Davoudi e Aaron Gertler mostram seus ranques




    Também muito interessante era o deck pilotado por Aaron Gertler, que acabou vencendo o campeonato, um Temur Clover, fortemente baseado na mecânica Aventura, mas numa combinação de cores pouco usual até agora. A aparição do deck no topo de um campeonato é um alívio para quem achou que o formato estava decidido pelo Mundial. Ainda há espaço para inovações e para decks ascenderem no formato.

     



     



    Arena no Mobile



    Desde seu lançamento para PC uma das perguntas que mais surge quanto ao Magic Arena é quando ele será lançado para outras plataformas, afinal esse era um dos objetivos iniciais no desenvolvimento do jogo. Ano passado recebemos uma resposta vaga de que o jogo chegaria ao Mac logo depois de chegar à Epic Game Store, o que deve ser logo. Agora recebemos mais uma dessas respostas quanto às plataformas mobile.



    No relatório de ganhos da Hasbro de 2019 o CEO da empresa, Brian Goldner, revelou que o Arena ganharia uma versão mobile ainda em 2020 e que proveria mais informações na Feira de Brinquedos de Nova Iorque, que ocorreu na sexta-feira. No entanto, nenhuma nova informação foi dada no evento, embora Goldner tenha reforçado a afirmação do lançamento.



    Arena no Mobile



    De qualquer maneira essa é uma notícia muito animadora! A chegada do Arena nas plataformas mobiles passa de um assunto que sequer era discutido oficialmente para uma promessa feita por uma liderança da Hasbro.



    A expansão seria um grande avanço para conquistar novos jogadores além de um passo importante, se não necessário, para se solidificar nesse mercado e competir com jogos como o Lendas de Runeterra, que também tem seu lançamento mobile programado. Aguardamos ansiosos mais informações!



    Assim acaba mais um Boletim. O que você achou dos formatos dos PTs? Está empolgado para jogar Jumpstart? E Arena na tela do seu celular?  Sinta-se livre para nos contar usando a seção de comentários. Você também pode nos alcançar por nossa página no Facebook ou Twitter. Obrigado pela leitura.



    Thiago Santos dos Artesãos do Magic


  • Boletim dos Artesãos - PV Campeão Mundial

    Boletim dos Artesãos - PV Campeão Mundial

    por artesaosdomagic em 17/02/2020 - 146 Visualizações, 2 Comentários.

    Olá e sejam bem-vindos a mais um Boletim dos Artesãos, cabal com o de mais importante aconteceu no mundo de Magic: the Gathering. Tivemos nesse último fim de semana o que talvez foi o maior campeonato de Magic de todos os tempos, com uma premiação total alcançando U$1.000.000,00 e a disputa pelo título de Campeão Mundial. Toda a atenção estava voltada para Honolulu no Havaí, então vamos logo saber o que aconteceu por lá.



    Os Decks do Mundial



    O 26º Mundial de Magic adotou um formato misto, com Draft nas primeiras rodadas, e marcou o retorno do Standard ao circuito do alto nível. A última vez que tínhamos visto o formato foi no Campeonato Mítico VII, vencido por Piotr Głogowski com Jund Sacrifice. Desde então muito tempo passou e Theros: Além da Morte foi lançada.



    Com um campo reduzido de 16 jogadores poucos arquétipos eram esperados no campeonato, apenas aqueles decks que estão no absoluto topo do formato tinham alguma chance de aparecer. E com competidores de tão alto nível a escolha também dependeria muito da expertise e conforto dos jogadores com cada deck, afinal não seria prudente confiar que seu oponente cometeria erros.



    Assim tivemos representantes dos 5 decks mais populares do formato no momento, com os jogadores gravitando fortemente em torno de 4 deles e um outsider para completar a lista.



    Três dos decks focavam seus esforços em encontrar uma carta que, quando entrasse em campo de batalha, se tudo corresse bem, ganharia o jogo sem dificuldades. Esse é o caso de Temur Reclamation, focado, é claro em Reconquista da Natureza, que vem sendo uma força no Standard desde Simic Nexus.



    O deck agora não se apoia mais em turnos infinitos e sim maximizar o uso de sua mana com batedores pesadíssimos, como Uro, Titã da Ira da Natureza e Krasis Hidroide, na sua etapa principal e levar a disrupção ao turno do oponente, com Caloteiro Descarado // Pequeno Furto e Intervenção de Tassa, e ainda a possibilidade de um boom com uma Expansão // Explosão gigante na etapa final.



    Autumn Burchett, Jean-Emmanuel Depraz, Chris Kvartek, e Matias Leveratto escolheram esse deck para o campeonato.



    Seguindo no tema temos o Jeskai Fires, que também se apoia em um encantamento de custo 4 que te permite trapacear um pouquinho em termos de mana. Assim que Fogos da Invenção entra em campo, preferivelmente no turno 4, o deck deve prover uma enxurrada de ameaças gigantescas, como os Cavaleiro da Chama e Cavaleiro dos Vendavais e o próprio monarca Kenrith, o Rei Regresso.



    A grande novidade no deck é a inclusão de um drop-6 que é discutivelmente a melhor carta de Theros: Além da Morte, Arrasta-sonhos. Uma vez que a esfinge chega, é uma tarefa hercúlea movê-la de lugar, e ela provê uma fonte contínua de vantagem de cartas além de pontos de vida em cada ataque.



    Marcio Carvalho, Javier Dominguez, Raphael Levy e Gabriel Nassif levaram os Fogos ao Havaí.



    O último deck nessa categoria é o Mono-Red Aggro e a carta trunfo do deck é a Brasolâmina, que transforma a mais miúda das criaturas em  um poderoso atacante. O foco do deck é curvar criaturas que possam empunhar a arma nos primeiros turnos do jogo enquanto pressiona os pontos de vida do oponente.



    Duas novidades merecem destaque nas listas que foram registradas. A primeira delas é Anax, Temperado na Forja, que serve duplo propósito como um atacante excelente e uma proteção contra efeitos de cólera, gerando um bando de sátiros quando atingido por eles. A segunda é a ausência do clássico Choque, ruim na maioria dos confrontos esperados para o campeonato.



    Andrea Mengucci, Eli Loveman, Seth Manfield, e Sebastian Pozzo comandaram o calor no Mundial.



    Tivemos um lobo solitário no campeonato, Piotr Głogowski, que resolveu recorrer ao deck que o classificou para buscar a vitória. A estratégia central do Jund Sacrifice não mudou, coloque o Familiar do Caldeirão no Forno da Bruxa e depois incremente a receita com Diabo do Pandemônio ou Korvold, Fae-Cursed King. Nos espaços flexíveis vemos a inclusão de Remorso Agonizante, um poderoso efeito de descarte que pega tudo.



    O último deck registrado é o que tenta parar todas as interações e cartas que citamos acima, o eterno Azorius Control. Dessa vez ele assumiu uma forma recheada de encantamentos providos por Theros que vão desde vantagem de cartas, com Augúrio do Mar, a remoções, com Elspeth Derrota a Morte. Além disso o par de planinautas Teferi, Manipulador do Tempo e Narset, Rasgadora de Véus continua muito relevante.



    O deck foi considerado por próprios competidores a melhor lista da competição e foi a escolha de Ondrej Strasky, Thoralf Severin e do brasileiro Paulo Vitor Damo da Rosa.

     



    Paulo Vitor Ascende ao Topo do Magic



    16 jogadores competiam pelo prêmio final de U$300.000,00 e, claro, o título único de Campeão Mundial de Magic: the Gathering. Apesar de chegarem por diferentes caminhos, todos estavam em pé de igualdade ao início do torneio.



    Competidores Mundial



    A estrutura do campeonato parecia muito complicada no começo, com vários detalhes que mudariam drasticamente seu caminho a depender de sua campanha, mas logo ficou claro que o número mágico era 2. Com 2 vitórias você subia ao grupo de vencedores e continuava jogando, com 2 derrotas você descia aos perdedores, podendo ser eliminado. Então a missão era simples: continue ganhando.



    Porém antes de qualquer eliminação tivemos duas corridas de partidas, a primeira envolvendo o Draft de Theros: Além da Morte e a segunda dando um gosto de Standard. Inofensivas a princípio, essas corridas dariam ampla vantagem a seus vencedores, já que não haveria um reset em nenhuma fase. Caindo uma vez sequer para o grupo de derrotas seu caminho ficaria muito mais difícil.



    Dessas corridas emergiram os primeiros classificados ao Top 8, na parte de cima: Marcio Carvalho, Eli Loveman, Paulo Vitor Damo da Rosa e Seth Manfield. Mais uma corrida de Standard definiria quem avançaria ao ao Dia 2 e nela grandes nomes foram eliminados, que incluíram o então Campeão Mundial, Javier Dominguez, além de Matias Leveratto, Andrea Mengucci e Ondrej Strasky.



    No Dia 2 começamos com mais uma corrida que definiu o Top 8, com Sebastian Pozzo, Jean-Emmanuel Depraz, Autumn Burchett e Gabriel Nassif fechando a parte de baixo do que seria uma mata-mata de eliminação dupla como estamos acostumados. O detalhe é que todos os confrontos em que um jogador poderia ser eliminado seriam disputados em melhor-de-3 partidas, não apenas jogos.



    Na parte de cima PV e Márcio se mantiveram firmes na missão, avançando para o Top 4 de domingo, sendo que o português estava invicto no campeonato e o brasileiro só perdendo uma partida, justamente para Márcio.



    A parte de baixo foi um deleite aos fãs, com jogos de alto nível e emoção em todos os momentos. Ao fim o peso e a expertise dos membros do Hall da Fama se provou mais uma vez com Gabriel Nassif, e Seth Manfield completando o Top 4.



    Top 4 Mundial



    O domingo começou com mais um duelo em língua portuguesa e nessa revanche o Brasil levou a melhor e Paulo Vitor se classificou à grande final. Do embate de baixo Manfield saiu vencedor, mas Carvalho estava determinado a levantar o troféu, de forma que mandou o estadunidense embora em três partidas logo em seguida.



    A final, então, seria mais um embate entre Márcio e Paulo, que estavam 1-1 nos confrontos diretos no campeonato. Paulo precisaria de vencer duas vezes para adicionar ao seu currículo o único título que ainda não possuía. Por vir da parte de baixo Márcio precisaria de três vitórias para deixar para trás o histórico de vice.



    Tudo começou bem para PV, jogos perfeitos renderam um 2-0 que o deixou a uma partida de ser campeão. Márcio respondeu na mesma moeda com seu próprio 2-0. Sempre ciente do desafio a sua frente o português manteve o foco e repetiu o feito para ficar 2-1 em partidas, forçando um último embate.



    Paulo Vitor colocou a determinação de Carvalho à prova ao vencer o primeiro jogo da partida final, ficando a apenas um de distância do título. Carvalho novamente tinha a resposta vencendo a seguinte e levando tudo para um jogo decisivo.



    Então Márcio foi apresentado a uma escolha de alto risco ao manter uma mão com apenas dois terrenos e nenhuma mágica que pudesse ser conjurada deles e ele decidiu arriscar, tudo que ele precisava era de algumas fontes de mana vermelho e branco. Caso a aposta desse frutos seria a maior recuperação da história do Magic.



    A primeira etapa de compras veio e nada. Na segunda novamente nada e o desespero tomou forma quando ele teve de descartar para se manter com 7 cartas na mão. Do outro lado PV continuou seu jogo, calmo e preparado para responder o que quer que viesse a seguir.



    Isso não foi necessário, no entanto, pois Márcio Carvalho, ao ver que não mais nenhuma chance, concedeu o jogo, a partida e o título e Paulo Vitor Damo da Rosa se tornou Campeão Mundial de Magic: the Gathering.



    PVDDR Campeão Mundial



    O título tem uma porção de grandes significados. É o troféu que faltava na coleção, a premiação que o coloca inalcançável em ganhos provenientes do jogo por um bom período e talvez a vitória definitiva para declará-lo o Melhor de Todos os Tempos. Tudo isso empalidece no momento para Paulo. Agora ele é um jogador que realizou seu sonho.



    Assim finalizamos mais um Boletim depois de um fim de semana incrível de competições. Parabéns Paulo Vitor Damo da Rosa que trouxe o título de Campeão Mundial ao Brasil mais uma vez! E você, o que achou do campeonato? Qual o seu jogo favorito? Qual momento mais te marcou? Sinta-se livre para nos contar usando a seção de comentários. Você também pode nos alcançar por nossa página no Facebook ou Twitter. Obrigado pela leitura.



    Thiago Santos dos Artesãos do Magic


  • Boletim dos Artesãos - Ruptura no Players Tour Phoenix

    Boletim dos Artesãos - Ruptura no Players Tour Phoenix

    por artesaosdomagic em 10/02/2020 - 124 Visualizações, 0 Comentários.

    Olá e sejam bem-vindos a mais um Boletim dos Artesãos, cheio com o que de mais importante aconteceu no mundo de Magic: the Gathering. Dando sequência aos eventos da semana passada, neste fim de semana aconteceu o Players Tour Phoenix, então é claro que você vai ler tudo sobre ele por aqui. Então vamos à competição!



    O Pioneer entre PTs



    A grande questão do Players Tour Phoenix era como o metagame se estruturaria em cima dos resultados obtidos nos campeonatos das regiões Europa e Ásia-Pacífico.



    O deck a ser batido era claramente o Dimir Inverter. Embora não tivesse conseguido agarrar os títulos na semana passada, sua performance mais que provou que ele seria uma das forças do formato nos campeonatos seguintes. Assim, como sempre acontece numa situação dessas, os jogadores foram apresentados à escolha de se unir ao esquadrão que pilotaria o deck, ou enfrentá-lo.



    Entre as opções anti-Inversor, estavam, claro, os decks campeões dos últimos dois torneios. Em Bruxelas Sultai Delirium chegou ao topo. O deck é centrado em seu cemitério, preenchido por cartas como Sátiro Trilheiro, que possibilita jogadas poderosíssimas como Emrakul, o Fim Prometido, e também faz uso de Uro, Titã da Ira da Natureza, o pacote completo de aceleração, ameaça e vantagem de cartas.



    Quem ganhou em Nagoya foi Bant Spirits, que coloca suas fichas em sinergias tribais, como Errante do Mausoléu e Fantasma Supremo, e joga de uma maneira mais “justa”. Além disso, o deck também conta com um pacote de disrupção do qual Supressor de Mágicas é o maior representante e tudo é mantido junto pela cola Companhia Agrupada.



    Lotus Breach Sobe ao Topo



    As respostas começaram a aparecer no Dia 1 e todos estes três decks estiveram entre os 5 mais jogados no torneio. Liderando a list, como previsto, o Dimir Inverter representava 20% dos jogadores um número alto, muito superior ao segundo colocado, Bant Spirits, que ficou com 13%. Sultai Delirium ficou com a quinta posição com 8%.



    Metagame Dia 1



    Entre os outros decks mais populares, no terceiro lugar encontramos o Mono-Red Aggro, com 10% do campo. O deck apareceu como uma das formas de se combater o Dimir Inverter, apostando em sua velocidade apoiada nos seus eficientes batedores com Destreza, como Lança Veloz do Monastério e Mago Escarificador de Almas.



    Fechando, no quarto lugar tivemos uma pequena surpresa em Lotus Breach, que chegou com 9% dos jogadores. O deck foi outro combo aprimorado com o lançamento de Theros: Além da Morte, adicionando ao seu plano de gerar quantidades absurdas de mana com Campo de Lótus e efeitos de desvirar, Vizir das Areias Correntes, o encantamento Ruptura do Submundo e Oráculo de Tassa como uma nova condição de vitória.



    Todos esses decks continuaram no topo no Dia 2, mas com várias mudanças de posição. Quem permanceu parado foi o Dimir Inverter, que, com uma conversão de cerca de 42% de seus jogadores, ampliou seu domínio para 24% do campo.



    O segundo lugar foi tomado de assalto por Lotus Breach. Com uma conversão de quase 58% o deck cresceu sua fatia em seis pontos, ficando com 15% do campo. Outro deck que subiu, este três pontos, terminando com 11%, foi o Sultai Delirium.



    Os decks restantes foram os que tiveram desempenho mais fraco. Bant Spirits teve conversão apenas o suficiente para se manter na média, cerca de 33%, fechando com 12% dos jogadores. As coisas foram ainda piores para o Mono-Red Aggro, que teve conversão pífia de cerca de 28%, ficando com 8% do meta.



    Metagame Dia 2



    Os motivos para essas movimentações podem ser encontrados na análise dos dados obtidos pelos enfrentamentos dos decks.



    O Mono-Red Aggro venceu apenas 45% de seus jogos, muito em função do fato de que não teve vida fácil nem contra Dimir Inverter nem contra Sultai Delirium. A esperança do deck é que ele mostrou força contra o Lotus Breach, o que pode significar alguma sobrevida.



    O Dimir Inverter se solidificou no topo do formato, vencendo 53% das vezes e tendo partidas favoráveis contra basicamente todos os decks, mostrando a eficiência dos ajustes feitos, que viraram do avesso o combate contra estratégias agressivas. A única preocupação é que o não foi bem contra a nova sensação, Lotus Breach.



    Nova sensação que não é só falatório. Com exceção do já citado Mono-Red Aggro, o deck massacrou qualquer outro que se colocou em sua frente, o que culminou em incríveis 62% de vitórias no campeonato. Com o resultado ele se torna o novo deck a ser batido no Pioneer.



    Dos outros decks que citamos, Sultai Delirium teve boa performance contra os outros decks e jogos próximos o bastante contra Dimir Inverter e Lotus Breach para que o embate não esteja decidido já de antemão, fechando com 55% de vitórias. Já o Bant Spirits venceu apenas 48% de seus jogos. A boa notícia é que ele também tem confrontos próximos contra os dois decks do topo e um favorável contra o Sultai Delirium.



    Corey Burkhart Conquista Phoenix



    Chegando agora às performances individuais vimos um retrato adequado do formato chegar ao Top 8 da competição. Dois jogadores chegaram a essa fase com o Dimir Inverter, Corey Burkhart e Pete Ingram, e dois se classificaram com o Lotus Breach, William "Huey" Jensen e Allen Wu, representando as duas atuais maiores forças do Pioneer.



    Em sequência todos os maiores fatores do formato foram representados. O Mono-Red Aggro nas mãos de Zachary Kiihne, o Bant Spirits de Tommy Ashton, o Sultai Delirium de Jacob Wilson e, por fim, o eterno Azorius Control, pilotado por Austin Bursavich.



    Top 8 em Phoenix



    E quando o talento individual é um dos fatores mais importantes, é sempre uma boa opção apostar em um membro da MPL e do Hall da Fama. Huey Jensen ignorou o confronto desfavorável contra o deck de Austin Bursavich e manteve a força contra Jacob Wilson para chegar à final.



    Do outro lado Corey Burkhart estava em uma campanha de recuperação. Após um início decepcionante, 2-3, ele escalou o campeonato jogo a jogo para chegar ao mata-mata e não se deixaria ser parado. Assim ele prosseguiu para eliminar Allen Wu e Zachary Kiihne, para também chegar ao último estágio.



    A final foi um pouco anti-climática. No primeiro jogo Huey foi punido por manter uma mão arriscada, que chegou a dar seus frutos. O segundo jogo foi tão rápido quanto, com Burkhart assegurando vantagem já no início com Damping Sphere saindo do sideboard e pouco depois o jogo estava ganho. Assim Corey Burkhart se tornou o campeão do Players Tour Phoenix!



    Burkhart Campeão



     



    O próximo evento dessa série são as Finais do Players Tour, que ocorrem de 24 a 26 de abril em Houston. Mas antes disso temos o Mundial de Magic já nesta semana. O Magic competitivo não para!



    Quanto ao Pioneer, o formato terá algum tempo para se ajustar. Além disso, anúncios de B&R virão, e um é esperado para hoje, e podem chacoalhar o formato e é claro que os combos do topo do formato, Dimir Inverter e Lotus Breach, estão na mira. Vamos acompanhar tudo isso por aqui.



    Assim encerramos mais um Boletim. O que achou do desenvolvimento do Pioneer nestas últimas semanas? Você baniria alguma carta do formato? E para quem vai sua torcida no Mundial? Sinta-se livre para nos contar usando a seção de comentários. Você também pode nos alcançar por nossa página no Facebook ou Twitter. Obrigado pela leitura.



    Thiago Santos dos Artesãos do Magic


  • Boletim dos Artesãos - Resultados de Bruxelas e Nagoya

    Boletim dos Artesãos - Resultados de Bruxelas e Nagoya

    por artesaosdomagic em 03/02/2020 - 139 Visualizações, 0 Comentários.

    Olá e sejam bem-vindos a mais Boletim dos Artesãos, rematado com o que de mais importante acontece no mundo de Magic: the Gathering. Essa semana não poderíamos ter outro assunto além dos primeiros Players Tours da Temporada Parcial 2020-2021 que aconteceram em Nagoya e Bruxelas no fim de semana. Então vamos ficar por dentro do que aconteceu nesses eventos.



    Provando o Pioneer



    O formato dos campeonatos é um dos maiores atrativos dessa primeira série de Players Tour, colocando o recém nascido Pioneer sob os holofotes para ser explorado pelos melhores jogadores de todo o mundo.



    O formato vêm sido acompanhado de perto pela comunidade e pela Wizards desde o começo, e seu principal guia até agora, que inclusive influenciou banimentos, tinham sido os resultados do Magic Online. O que esses dados indicavam era a forte presença e influência de cinco decks principais nas semanas que antecederam os Players Tour: Mono-Black Aggro, Niv to Light, Izzet Ensoul, Azorius Control and Azorius Spirits.



    Além desses, uma nova combinação tomou a atenção de todos nos últimos instantes, escalando o topo do formato de uma forma que deixou muitos assustados, na forma de Dimir Inverter. O combo envolvendo Inversor da Verdade que foi amplificado com a chegada de Oráculo de Tassa, adicionou um pouco mais de tempero à panela do formato.



    Esses resultados são limitados, no entanto, e precisam de validação. Essa nova camada de importância, com a possibilidade jogar luz sobre a imagem completa do Pioneer e influenciar o futuro do formato, quais estratégias são válidas, quais não, o que é promissor e o que talvez precise até de um banimento, foi um dos grandes fatores do espetáculo.



    Campo Diverso em Bruxelas



    Começando pelo Players Tour da região Europa, que aconteceu na capital belga, Bruxelas. Analisando os decks trazidos pelos 384 competidores somos brindados com uma diversidade incrível, que já começa nos três decks mais jogados, que caem na divisão clássica do Magic: Aggro, Combo e Control.



    O deck mais popular foi o Mono-Black Aggro, representando 13,8% dos jogadores. É sempre uma boa ideia encarar o jogo com agressividade, ainda mais se você está cercado das melhores cartas interativas do formato, Capturar Pensamento e Empurrão Fatal, e têm boas criaturas recursivas para manter o nível de ameaça sempre alto, Campeão Banhado em Sangue, Parasita de Sucata.



    Logo depois o combo que destronou Heliode como o mais falado do formato, Dimir Inverter, teve 12,2% do campo. Ser o melhor deck com Revirar o Tempo não é um predicativo banal e o deck, que já existia de alguma forma antes com apenas Jace, Manipulador de Mistérios, se tornou um verdadeiro competidor com Oráculo de Tassa. Seu poder e impacto são tantos que ele está sendo apelidado de Splinter Twin do Pioneer.



    O terceiro deck foi Azorius Control, com 9,6% O arquétipo, presente em basicamente qualquer formato do jogo, se mostrou uma boa maneira de impedir seus oponentes de executarem seus planos no Pioneer, apoiado por poderosas mágicas, como Veredito Supremo, e planinautas, como Teferi, Herói de Dominária.



    Para fechar a sequência de decks mais populares tivemos os outros três citados na nossa introdução. Niv to Light representou 9,1% do campo, Azorius Spirits teve 6% e Izzet Ensoul ficou com 5,5%.



    Deixando a popularidade e passando à performance, Mono-Black Aggro e Dimir Inverter se mantiveram como os decks mais representados no Dia 2 do evento com conversões de cerca de 40% e porções do meta de 16,2% e 14,6% respectivamente.



    Outros que conseguiram se segurar em seu assento Niv to Light, com conversão de cerca de 30%, e Izzet Enzoul, com cerca de 40%. Os decks ficaram com respectivos 8,5% e 6,9% do campo. Já os decks Azorius foram muito mal, convertendo em torno de 20% de seus jogadores. Azorius Control chegou ao Dia 2 com apenas 6,9%, enquanto Azorius Spirits fechou com meros 3,8%.



    Na contramão, um deck que surpreendeu, subindo aos mais representados no Dia 2, com conversão de mais de 70%, foi Mono-White Devotion, portador do combo Heliode + Ballista, entre outras interações poderosas.



    Deixando de lado as análises macro, sabemos que o que decide campeonatos é perícia individual. Dois jogadores da MPL que se preparam para o Mundial em alguns dias fizeram seu caminho até a fase eliminatória em Bruxelas. Um deles foi polonês Piotr Głogowski, um dos responsáveis por popularizar o Dimir Inverter nas redes, e o outro o brasileiro Paulo Vitor Damo da Rosa, que adicionou mais uma ótima performance ao seu currículo impecável pilotando um Niv to Light.



    Outro integrante do Top 8 veio de outro continente em busca do título, o chinês Zhang Zhiyang com Mono-Black Aggro. Assim como ele todos os outros competidores que avançaram ao mata-mata já tinham histórico em jogo de alto nível.



    Assim, fechando a lista tivemos os italianos Mattia Rizzi e Valerio Luminati com Bant Spirits, o sueco Joel Larsson com Sultai Delirium, o holandês Brent Vos com Lotus Breach e o espanhol Juan José Rodríguez López com Mono-Red Aggro.




    Top 8 Bruxelas
    Da esquerda para a direita: Juan José Rodríguez López, Piotr Głogowski, Brent Vos, Mattia Rizzi, Zhang Zhiyang, Valerio Luminati, Paulo Vitor Damo da Rosa, e Joel Larsson




    Os Bant Spirits foram eliminados nas quartas-de-final assim como os representantes Aggro. Numa das semifinais, no embate entre MPL, PV ficou com a pior, com Głogowski avançando para enfrentar Joel Larsson, que despachou Brent Vos do outro lado, na final.



    Piotr saiu na frente nas costas de Jace, mas viu sua sorte minar nos jogos com sideboard graças à Linha de Força do Vácuo. Dificulltando muito a vida e as interações do deck de seu oponente com essa poderosa resposta, Joel Larsson ganhou os dois jogos seguintes para se sagrar campeão.



    Larsson Campeão em Bruxelas



    Deck Sultai Delirium - Pioneer

    Sultai Delirium by Larsson, Joel: https://www.mtggoldfish.com/deck/2723371

    Autor: artesaosdomagic

     



    Inverter Domina Nagoya



    Embora os seis decks mais populares tenham sido os mesmos, o Players Tour Nagoya foi um campeonato muito diferente do de Bruxelas, talvez refletindo um estilo de jogo diferente trazido com frequência pelos jogadores da região Ásia-Pacífico.



    O deck mais popular entre os 192 jogadores registrados foi o Dimir Inverter por uma boa margem, com 19,3% dos jogadores, e em seguida tivemos o Mono-Black Aggro com 13%. Niv to Light assumiu a terceira posição com 10,9% e só depois tivemos Azorius Control e Azorius Spirits, ambos com 7,3%, e Izzet Ensoul, com 6,8%.



    Esses seis decks representaram juntos mais de dois terços dos decks do evento, 64,6%, bem mais que os cerca de 56% em Bruxelas. Isso não quer dizer que o campo era homogêneo, no entanto, já que 17 jogadores, cerca de 9% do campo, registraram decks únicos no torneio, ou seja, eram os únicos pilotando um certo arquétipo.



    Em termos de conversão, Dimir Inverter permaneceu no topo com 51% e cerca de 29% do campo no Dia 2, seguido novamente pelo Mono-Black com 48% e cerca de 18% do campo. Azorius Spirits foi muito melhor em Nagoya, 50% de conversão e 10,6% do campo, enquanto Niv to Light e Azorius Control foram péssimos com os mesmos 14% de conversão que os deixaram com 4,5% e 3% do campo respectivamente.




    Top 8 Nagoya
    Atrás, E-D: Kenta Harane, Akira Asahara, Lee Shi Tian, Dimitriy Butakov

    Frente, E-D: Shintaro Ishimura, Yuta Takahashi, Ken Yukuhiro, Shota Yasooka




    O Top 8 reforçou a narrativa vencedora de Inverter tomando 5 dos 8 assentos. Yuta Takahashi, Akira Asahara, e os membros da MPL Shota Yasooka e Lee Shi Tian pilotavam uma versão Dimir, enquanto Shintaro Ishimura foi num caminho diferente com Devotion Inverter.



    As últimas posições ficaram com Kenta Harane, que pilotou um Azorius Spirits, Dmitriy Butakov no aggro com Mono-Black Vampires e Ken Yukuhiro, o último membro da MPL no Top 8, que levou uma construção própria à fase de mata-mata, com Sram Auras.



    Tudo encaminhado para Inverter levantar o troféu, certo? Bem, os decks que continham Branco em suas cores tinham outros planos tanto o Azorius Spirits de Kenta Harane quanto o Sram Auras de Ken Yukuhiro derrotaram decks Dimir Inverter nas quartas-de-final e semi-final para chegar a decisão, onde Harane foi capaz de reverter as vantagens criadas por Yukuhiro, que ganhou o primeiro jogo e parecia perto de ganhar o terceiro, para se sagrar campeão.





    Essa semana temos o último Players Tour dessa série, pela região Américas. Como os jogadores vão reagir aos resultados de domingo e que ajustes farão com essa torrente de informações sobre o formato que eles têm e com tão pouco tempo antes da competição? Teremos que assistir para saber.



    Assim finalizamos mais um Boletim. E você, o que achou dos torneios dessa semana? Como foi ver o Pioneer finalmente nas grandes mesas de Magic: the Gathering? Qual deck e qual jogador mais te impressionou? Sinta-se livre para nos contar usando a seção de comentários. Você também pode nos alcançar por nossa página no Facebook ou Twitter. Obrigado pela leitura.



    Thiago Santos dos Artesãos do Magic


  • Boletim dos Artesãos - Pontos da Série 1 e Perguntas Respondidas

    Boletim dos Artesãos - Pontos da Série 1 e Perguntas Respondidas

    por artesaosdomagic em 28/01/2020 - 65 Visualizações, 0 Comentários.

    Olá e sejam bem-vindos a mais um Boletim dos Artesãos completo com o que de mais importante aconteceu no mundo de Magic: the Gathering. Nessa semana tivemos mais um anúncio importante de Jogo Organizado detalhando a divisão de Player Points na primeira série de Players Tour e a equipe por trás do anúncio aproveitou a oportunidade para ter um bate-papo com a comunidade! Vamos logo saber de tudo.



    Player Points da Série 1



    Os primeiros Players Tours já estão à porta com Ásia-Pacífico e Europa tendo seus regionais neste fim de semana, começando dia 31. Assim, a Wizards não poderia deixar de fazer um anúncio antes desses eventos detalhando a distribuição das premiações de Player Points (PPs) e também dinheiro nessa primeira série de eventos.



    O conceito em mente ao criar a essa distribuição foi muito simples: dar aos jogadores oportunidades equiparáveis independente de qual região eles joguem. A pedra no caminho desse conceito são as variações no índice de participação por região.



    Para esta primeira série a participação estimada na Ásia-Pacífico projeta um torneio de 15 rodadas, já na Europa e Américas a projeção é de 16 rodadas. Realizar eventos com números de rodadas diferentes e que distribuíssem seus PPs de acordo com essa diferença daria vantagem aos jogadores que optaram por disputar o evento na Ásia-Pacífico nas corridas pelas ligas.



    Assim, a fim de equilibrar as coisas, somente as rodadas 1 a 15 de todos os Players Tours da primeira série distribuirão Pro Points.



    Player Points Restantes



    O mesmo preceito é usado no Top 8, onde as distribuições de PPs são idênticas em todas as regiões. Chegar a um mata-mata de Players Tour é um grande feito seja em solo japonês, belga ou estadunidense.



    Player Points Top 8



    Na hora da premiação em dinheiro é uma história diferente, no entanto. Como já havia sido revelado anteriormente, cada região tem seu próprio montante de premiação total: as Américas recebem U$250.000, a Europa U$200.000 e a Ásia-Pacífico U$150.000. Isso, é claro, implica em diferenças nos valores recebidos por cada posição nas diferentes regiões.



    A premiação para os campeões é igual nos três campeonatos, U$35.000, e isso também é verdade para as demais posições do Top 8 nas Américas e Europa. O Top 8 da Ásia-Pacífico recebe consideravelmente menos dinheiro.



    Premiação Top 8



    As diferenças são ainda mais profundas nas demais posições do campeonato.



    Premiação Restante



    Os Players Tours da Europa, em Bruxelas, e da Ásia-Pacífico, em Nagoya, são nessa semana, de 31 de janeiro a 2 de fevereiro. Já o Players Tour Américas, em Phoenix, ocorre semana que vem, dos dias 7 a 9 de fevereiro. Acompanhe!



    (Algumas) Dúvidas Respondidas



    No mesmo dia do anúncio Athena, Gerente de Comunidade do Magic nos EUA, se juntou a Ben Drago, Gerente Sênior de Jogo Competitivo, e Scott Larabee, Gerente de Programas de Jogo Organizado, para promover um AMAA (“Ask Me Almost Anything” - Pergunte-me Quase Qualquer Coisa) na comunidade do jogo no Reddit (r/magicTCG) a fim de responder perguntas e sanar dúvidas não só sobre esse comunicado, mas sobre o Jogo Competitivo em geral.



    Uma das questões mais frequentes foi acerca da dificuldade de entender o sistema como um todo. Há diferentes e novos tipos de eventos sendo apresentados ao mesmo tempo, cada um com diferentes formas de se classificar e levando a diferentes caminhos no jogo competitivo. Com tanta informação os jogadores acabam se por se desconectar do que está acontecendo.



    Nesse sentido Athena disse que materiais como vídeos e artigos serão criados para explicar de forma simples aos jogadores como o sistema funciona desde o jogador iniciante até a Magic Pro League.



    Numa mesma pegada jogadores reclamaram da falta de estabilidade e de informações no atual sistema, algo que não estava tanto em evidência no antigo sistema.



    Sobre a falta de informações Ben disse que elas não estavam sendo divulgadas antes porque simplesmente não existiam. Em 2019 o sistema estava sendo simultaneamente criado e executado, o que os deixou com pouco tempo hábil para comunicados. No entanto, essa impressão é uma das coisas que planeja ser mudada de 2020 em diante.



    Quanto à estabilidade Ben explicou que não é fácil derrubar um sistema de jogo competitivo multi-milionário que fazia parte do Magic há quase duas décadas e tampouco o é criar um novo do zero. Porém, visto que isso era necessário para prover as oportunidades que a equipe tinha em mente, um trabalho enorme foi feito em 2019. Ele ainda disse que, agora que a parte de criação ficou para trás os jogadores podem esperar estabilidade para simplesmente jogar o jogo.



    Um outro ponto muito importante para os jogadores é a cobertura em vídeo de eventos e sobre isso ficou muito claro que todos os Players Tour serão transmitidos. A novidade vem com o experimento de uma cobertura em inglês “atrasada” para o Players Tour Nagoya, para melhor se adequar à audiência ocidental. O evento ainda terá a cobertura ao-vivo e local em japonês.



    Sobre o que ainda não se sabe foi citado o Mundial de Magic da temporada 2020-2021. Scott, quando perguntado se os campeões de Final de Players Tour da temporada parcial de 2020 receberão convite para o evento, respondeu que essa é uma opção em aberto, e que a política de convites do evento ainda está em construção.



    Já sobre os detalhes das próprias Finais de Players Tour dessa temporada, como estrutura, formatos e distribuição de premiação, incluindo Players Points e dinheiro, Scott pôde apenas dizer que essa informação será obtida em breve, mas não deu nenhuma data.



    Muitos mais comentários foram feitos, mas a maioria permaneceu sem resposta. Você pode ver o post completo aqui. Agora, caso você mesmo tenha alguma dúvida você pode se dirigir às redes sociais do Magic ou ao email esports@wizards.com.



    Convites Entregues



    Na última terça, dia 21, a Wizards finalmente revelou os últimos integrantes da Liga de Rivais, que entram através de convites discricionário. Com o anúncio temos o elenco profissional do Magic da temporada parcial de 2020 enfim finalizado.




    Convites Rivais
    Cima E-D: Beatriz Grancha, Emma Handy, Eli Loveman

    Baixo E-D: Bernardo Santos, Ally Warfield, Yoshihiko Ikawa




    Como todos os integrantes das Ligas recebem convite a um Players Tour regional de sua escolha, esses jogadores já enfrentarão seu primeiro desafio neste final de semana. Boa sorte e boa temporada a todos!



    Os primeiros grandes eventos do ano já vão começar, fique atento ao canal oficial do Magic na Twicth para acompanhar tudo! Para qual jogador você está torcendo na MPL? E nos Rivais? Está empolgado para ver o Pioneer sendo jogado em alto nível? Sinta-se livre para nos contar usando a seção de comentários. Você também pode nos alcançar por nossa página no Facebook ou Twitter. Obrigado pela leitura.



    Thiago Santos dos Artesãos do Magic


  • Boletim dos Artesãos - Grande Abalo no Modern e Promos para Commander

    Boletim dos Artesãos - Grande Abalo no Modern e Promos para Commander

    por artesaosdomagic em 20/01/2020 - 68 Visualizações, 0 Comentários.

    Olá e sejam bem vindos a mais um Boletim dos Artesãos, que dispõe para você tudo o que de mais importante aconteceu no mundo de Magic: the Gathering. Para essa semana o assunto mais importante, como não poderia ser diferente, foi o mais recente anúncio de B&R que reestruturou o Modern. Além disso, temos algumas novidades em cartas promocionais que podem interessar muitos jogadores de diferentes níveis de jogo. Então vamos às informações.



    Grande Abalo no Modern



    Segunda passada, dia 13, a Wizards publicou mais um anúncio de Banidas & Restritas, o primeiro do ano e o último com data fixa de publicação. Apenas um formato foi afetado, o Modern, e de forma bastante profunda, com o banimento de três cartas, Oko, Ladrão de Coroas, Mox de Opala e Treliça Micossintetizadora.



    Banidas 13-01



    Começando com o mais infame do trio, Oko, que consegue seu quinto banimento em pouco mais de 100 dias de seu lançamento, um recorde que é testemunho do nível de poder absurdo da carta. A título de curiosidade, Oko  sobreviveu 45 dias no Standard, 73 dias no Pioneer e 101 dias no Modern, sendo banido no Brawl e suspenso no Histórico no ínterim.



    Os motivos que levaram ao seu banimento no Modern são parecidos com os que já explicamos aqui algumas vezes. Oko se tornou a carta mais jogada no formato, inclusa em cerca de 40% dos decks, até mesmo alguns em que não se esperaria, como o Burn. Além disso suas habilidades levaram a uma redução do Metagame e dos padrões de jogada do formato, da mesma forma que nos outros casos. Assim mais um banimento chegou a Oko, Ladrão de Coroas, que a este ponto já deve estar acostumado.



    O deck que melhor se aproveitava do poder de Oko eram os UBx Urza, focados, claro, em Urza, Grão-lorde Artífice. O deck estava no topo do formato, com o maior número de troféus e campanhas 5-0 em ligas e também uma respeitável taxa de vitória de 55% em partidas não-mirror, tendo vantagem contra 9 dos outros 10 decks mais populares. Dessa forma ele precisava ser enfraquecido. Os dados mostraram que apenas a remoção de Oko ainda manteria os decks Urza em posição dominante no formato, então outras opções foram exploradas.



    Os olhos logo se voltaram para um artefato que desde seu lançamento sempre se associou a decks “injustos”, como costumam ser chamados aqueles que tendem a acabar com o jogo de forma veloz e súbita, seja por meio de combate, combos ou elementos de “prisão”, que impedem o jogo do oponente. Estamos falando da Mox de Opala.



    Além de estar associada a esses decks problemáticos, de forma que já causou preocupações antes e provavelmente causaria no futuro, a Mox de Opala também servia como o melhor e mais forte facilitador para os decks Urza. Sendo assim ela foi a escolhida para o banimento que enfraqueceria o deck de vez.



    O último banimento veio como uma surpresa. Popular nos decks Eldrazi e Tron, a combinação entre Karn, o Grande Criador e Treliça Micossintetizadora não teve tanto sucesso assim em termos de números ou performance. No entanto ela era muito bem conhecida no formato por ser extremamente frustrante quando encontrada do lado oposto da mesa, já que te impede de usar seus preciosos terrenos, e ainda com um custo mínimo para adicioná-la ao deck. Isso fez com que ela aparecece mais vezes do que o saudável num cenário competitivo e por isso Treliça Micossintetizadora foi banida.



    As mudanças devem fazer uma mudança completa na cara do formato, alterando não apenas o equilíbro entre os decks, mas também as escolhas de cartas utilizadas, principalmente no sideboard. Quanto a Oko, Ladrão de Coroas ele está neste momento entre as 50 cartas mais jogadas do Legacy, então quem sabe mais um banimento está a caminho. Vamos acompanhar!



    Sincronia no Pioneer



    O Pioneer não recebeu nenhuma mudança em termos de cartas neste anúncio, mas ainda é digno de nota, já que este foi o primeiro em que o formato foi atualizado em conjunto com os outros. Nada mais de anúncios separados e semanais, as mudanças no Pioneer agora adota a cadência comum de B&R, que, embora não tenha mais datas marcadas, é esperada a cada seis semanas aproximadamente, ou quando uma intervenção inesperada seja necessária.



    Para além disso, o formato parece ter encontrado um estado saudável e equilibrado neste último período, ou seja, nenhuma mudança é exigida no momento. Vale ressaltar que em fevereiro teremos Grand Prixes e Players Tours utilizando o formato e mudanças não são esperadas antes desses eventos.



    Numa nota final a Wizards disse estar ciente da interação entre Heliod, Sun-Crowned e Balista Ambulante, o combo mais comentado para o Pioneer que chega com o lançamento de Theros: Além da Morte nessa semana. A decisão foi se ater à filosofia do formato e fazer com que a interação se prove com resultados e performances e só depois, caso se mostre imprescindível, uma mudança será feita no momento oportuno.



    Heliode e Balista



    Reprints nos Pacotes Promocionais



    Os eventos de pré-lançamento de Theros: Além da Morte foram neste último fim de semana e o lançamento oficial da coleção já é essa sexta. Além de uma enxurrada de novas cartas, que deve dar um novo frescor ao Standard o set também traz novidades nos pacotes promocionais.



    Introduzidos na Coleção Básica de 2020 substituindo as cartas promocionais avulsas na premiação de eventos das lojas locais, esses pacotes contém quatro espaços com funções específicas, sendo que um deles é ocupado por raras e mítico-raras vindas de uma lista curada.



    A mudança acontece justamente nesta lista, que passa a incluir cartas que não são legais para jogo no Standard. A justificativa é expandir os pacotes promocionais a diferentes maneiras de se aproveitar o jogo, e o momento é oportuno, já que, como dissemos aqui, 2020 é o ano do Commander.



    Assim 20 das 121 cartas possíveis de se obter neste espaço são dedicadas a este formato. Fazem parte da lista algumas staples e cartas muito populares, como Elmo Multiplicador, Intervenção Heroica, Sidisi, Vizir Morta-viva e Personificador Astuto. A lista completa de cartas possíveis, legais no Standard ou não, se encontra neste artigo.



    A mudança deve durar no mínimo pelas coleções Ikoria: Lar de Behemoths e Coleção Básica de 2021. Como um experimento, é importante que você também direcione seu feedback sobre a mudança para a Wizards!



    Assim finalizamos mais um Boletim. Muitas mudanças no Modern, então o que você achou desse B&R? E quanto ao pré-lançamento de Theros: Além da Morte, como foi sua experiência? E qual deck te deixou mais empolgado para esse novo Standard? Sinta-se livre para nos contar usando a seção de comentários. Você também pode nos alcançar por nossa página no Facebook ou Twitter. Obrigado pela leitura.



    Thiago Santos dos Artesãos do Magic


  • Boletim dos Artesãos - Bagunça de Player Points e Rota do Arena

    Boletim dos Artesãos - Bagunça de Player Points e Rota do Arena

    por artesaosdomagic em 13/01/2020 - 107 Visualizações, 0 Comentários.

    Olá e sejam bem vindos a mais um Boletim dos Artesãos, amplo com o que de mais importante aconteceu no mundo de Magic: the Gathering na última semana. E o ano já começa a ficar agitado nas primeiras semanas com anúncio do Jogo Organizado sendo feito e logo depois revertido, uma recusa para a Liga de Rivais e as novidades que chegam ao Magic Arena no update de janeiro. Vamos logo nos inteirar sobre esses assuntos.



    Vai e Volta de Player Points



    Na sexta-feira passada, dia 10, a Wizards publicou um artigo comunicando um teto de Player Points que poderiam ser obtidos por participantes de Grand Prixes que já começaria neste último fim de semana, no GP Austin, primeiro do ciclo qualificatório para a Série 2 de Players Tour deste ano. O anúncio, no entanto, teve vida curtíssima, e foi rapidamente revertido no dia seguinte.



    O que mudaria? De forma simples, apenas os Player Points adquiridos por cada jogador nos dois primeiros Grand Prixes que competissem em cada ciclo contariam para seus respectivos ranquementos. Os torneios subsequentes não contribuiriam para o cálculo dos ranques, ou seja, não teriam influência na classificação do jogador seja na MPL, Rivais ou entre os Desafiantes.



    Um ponto importante é que um competidor, em qualquer momento antes do início do torneio, poderia notificar Wizards por email que não desejaria seus Player Points advindos do evento em questão computados para o ranque, competindo apenas pela premiação em dinheiro e convites. Isso permitiria que um GP futuro fosse usado para sua classificação, dando mais controle aos jogadores.



    O anúncio foi extremamente repelido pela comunidade. Uma das principais reclamações foi o momento inoportuno do anúncio, inacreditavelmente em cima da hora, basicamente no mesmo dia do primeiro torneio afetado. Isso não permitiu aos jogadores decidir sobre a participação no GP Austin de forma informada, sabendo de todos os aspectos em jogo.



    Um segundo ponto importante de reclamações foi o próprio fato de resultados de GPs contarem para as classificações para as ligas MPL e Rivais, que tem o potencial de causar alguns problemas no sistema de Jogo Organizado. O principal deles, é claro, é a disparidade de oportunidades desse tipo de competição entre as regiões.



    É fato conhecido que os jogadores que moram nos EUA têm muito mais opções de GPs por ano nos mais diversos formatos e localidades do país, o que os dá muito mais poder para escolher quais eventos contariam para o ranque. Enquanto isso os jogadores da América Latina e da Ásia têm de se contentar com menos de um punhado de MagicFests locais por ano (o Brasil terá apenas um em 2020, como comentamos aqui).



    Sendo assim a Wizards admitiu falha em ambos estes pontos, especialmente quanto ao momento do anúncio, e reverteu a mudança para a Temporada Parcial de 2020. No entanto ela mantém a intenção de implementar o sistema na Temporada 2020/2021. O objetivo é responder ao feedback de que os jogadores desejam que suas performances no jogo físico, incluindo GPs tenham importância.



    Ao fim ficou o compromisso de dialogar e tratar desse assunto nesses meses que precedem a Temporada 2020/2021, com um anúncio completo e em tempo hábil sendo esperado.



    Savjz Recusa os Rivais



    Nesse fim de semana aconteceu o primeiro Qualificatório Mítico do Arena, evento de um dia aberto a todos os jogadores que estiveram entre os 1200 melhores da plataforma no Construído ou Limitado entre outubro e dezembro do ano passado.



    É esperado que os jogadores da Liga de Rivais participem do evento, mas, enquanto sabemos da maioria do composição da liga, alguns nomes ainda faltam, os convites discricionários. Entre os jogadores que sabemos que receberam o convite, fomos comunicados de uma recusa na semana passada por parte de Janne “Savjz” Mikonnen.



    Savjz no Invitacional



    O jogador disse em seu comunicado que “se competisse, gostaria de dar seu 100%. Mas para focar totalmente na produção de conteúdo, eu decidi recusar”. Ele ainda afirmou que “a combinação de streams e depois praticar para jogar em alto nível seria demais”.



    Savjz conseguiu sua vaga na MPL ano passsado através de um convite depois de uma campanha espetacular de terceiro colocado no Invitacional Mítico. Ele foi incapaz de repetir o sucesso na MPL, no entanto, não avançando para nenhum Dia 2 de Campeonato Mítico e, ao final, tendo a pior campanha da liga.



    Além disso o jogador se tornou o foco de reclamações sobre a MPL, especialmente sobre convites discricionários, sendo muitas vezes assediado nas redes sociais, o que com certeza não foi a mais saudável das experiências.



    O convite de Savjz muito provavelmente passará a ser mais um nome à escolha da Wizards ainda a ser anunciado. Boa sorte ao jogador em seus projetos futuros!



    Atualização de Rota do Arena



    Mais um mês, mais um update e um Estado do Jogo do Magic Arena. Nesse mês não temos novidades revolucionárias, mas temos algumas notícias muito importantes para a plataforma, a primeira delas, a mais óbvia, é a chegada da nova coleção Theros: Além da Morte, com novas cartas, mecânicas e animações.



    Outra novidade que chega com o update é que o Magic Arena estará disponível na Epic Game Store a partir dessa quinta, dia 16 de janeiro. Isso não deve mudar nada para os atuais jogadores da plataforma, já que jogadores compartilharão os eventos e filas de jogo não importando por onde ele seja baixado, mas pode ser um importante avanço para o crescimento do Arena.



    Em termos de eventos, como dissemos aqui, o Histórico Ranqueado desaparece por um tempo, sendo substituído por eventos de Histórico Construído e Histórico Construído Tradicional. Além disso o Brawlidays foi considerado um sucesso e está de volta nos mesmos moldes, entrada por 10.000 de ouro, e premiando com uma carta, dessa vez Talrand, Invocador Celeste, a primeira vitória.



    Talrand, Invocador Celeste



    Finalmente, fomos atualizados sobre o roteiro de lançamentos do Magic Arena. Quais recursos devem ser introduzidos na plataforma e seu atual estado de desenvolvimento.



    Entre os recursos que já estão em desenvolvimento, ou seja, já têm recursos destinados e tarefas sendo cumpridas para o lançamento, estão as Mensagens entre Amigos, a próxima funcionalidade social que deve chegar ao jogo, e mais cedo do que tarde pelo que indicaram, e a versão da plataforma para os sistemas macOS.



    Já na fase de planejamento temos alguns itens promissores. Entre novos eventos estão listados Draft de Cubo e o tão pedido Draft de 8 Jogadores (pod Draft). Para além disso consta na lista os sets remasterizados para o Pioneer, sendo que uma nova versão do bloco de Amonkhet foi nominalmente citada no artigo.



    Roteiro Arena



    Embora o Arena possa ser considerado um sucesso, ainda faltam muitos aprimoramentos e ainda há muito espaço para expansão. Vamos acompanhar o desenvolvimento da plataforma!



    Assim terminamos mais um Boletim dos Artesãos. É fim de semana de pré-lançamento! Está empolgado para finalmente jogar a nova coleção? Também é segunda de B&R, então o que você esperava e o que achou do anúncio? Sinta-se livre para nos contar usando a seção de comentários. Você também pode nos alcançar por nossa página no Facebook ou Twitter. Obrigado pela leitura.



    Thiago Santos dos Artesãos do Magic


  • Boletim dos Artesãos - Theros: Além da Morte se Desvela

    Boletim dos Artesãos - Theros: Além da Morte se Desvela

    por artesaosdomagic em 06/01/2020 - 97 Visualizações, 0 Comentários.

    Olá e sejam bem-vindos ao primeiro Boletim dos Artesãos do ano, pronto para te munir com o que de mais importante aconteceu no mundo de Magic: the Gathering. Começamos 2020, ano que promete muito com uma miríade de novos produtos e um novo programa de Jogo Competitivo. No Boletim de hoje o foco serão os previews de Theros: Além da Morte, que começaram propriamente, e novidades que chegaram ao Magic Companion. Vamos lá!



    Companion na Vanguarda



    Algumas novidades chegaram ao MTG Companion nos últimos meses, incluindo melhorias internas nos processos da ferramenta de criação e administração de torneios, que são importantes para uma experiência satisfatória, mas não imediatamente visíveis para os usuários. Nesse aspecto modificações foram feitas em pontos de aleatorização dos jogadores em torneios de Draft.



    Num primeiro momento, ao iniciar um Draft, o Companion estava atribuindo os assentos para o jogo em ordem de chegada, ou seja, o primeiro jogador a se registrar ficava com o Assento 1, o segundo com o Assento 2 e assim por diante.



    Com assentos atribuídos dessa forma a estrutura da mesa pode ser facilmente explorada com jogadores combinando assentos a fim de conseguirem receber melhores cartas ao longo do Draft. Assim o programa foi modificado e os assentos agora são atribuídos aleatoriamente.



    Na contramão dessa atualização um ajuste foi feito no pareamento dos jogadores para a primeira rodada de jogos. O Companion estava realizando este pareamento aleatoriamente, enquanto que o sistema mais comumente adotado pareia jogadores que estejam o mais distante possíveis na mesa.



    Esse sistema tem influência na forma como os jogadores cooperam no Draft e também garante que você viu o menor número de cartas possíveis que foram passadas para seu oponente de primeira rodada, então a plataforma foi ajustada para também funcionar dessa forma.



    A última mudança, por outro lado, é uma que qualquer usuário do Companion pode ver de imediato e uma funcionalidade que muito em breve também estará nos campeonatos de lojas, quando a nova versão do Wizards Event Reporter for disponibilizada.



    Antes no Companion apenas um jogador criava o torneio e era responsável por inserir resultados e divulgar as informações de pareamento e classificação para os participantes, tal como fazem as lojas hoje. Isso mudou, pois agora o aplicativo possui uma funcionalidade que permite que todos os participantes possam inserir seus próprios resultados e consultar as informações do campeonato assim que elas estiverem disponíveis.



    Isso funciona de maneira bem simples. Assim como antes um jogador cria o torneio pelo Companion. Nesse momento ele recebe um código e o distribui para os participantes, que podem então inseri-lo na aplicação em seus próprios dispositivos para se registrarem, sem que o organizador precise fazer mais nada.



    A partir daí, quando o evento começar, as informações de pareamento estarão disponíveis na tela de cada participante usuário do Companion. Eles também terão o papel de partirá disponível na aplicação, podendo submeter o resultado direto da mesa, e poderão ver o tempo restante da rodada e também a classificação sem precisar procurar muito.



    Telas Companion



    Essa é uma mudança que melhora imensamente a qualidade dos torneios, com as informações estando sempre disponíveis, de fácil acesso e atualizadas. Caso haja alguma divergência o organizador ainda pode ser contatado para que o problema seja solucionado.



    Do modo que está agora o Companion já é uma ótima maneira de organizar torneios de até 16 jogadores, com funções que já devem fazer sua transição para as lojas ainda esse ano. Ele está em fase de Beta Aberto tanto no Android quanto no iOS.



    A aplicação está longe de estar completa no entanto, e as “funções de engajamento” são aguardadas. Acompanharemos esse desenvolvimento!



    Revelando Theros: Além da Morte



    O ano virou e os previews de Theros engataram um bom ritmo que deve continuar até que eles se esgotem. Uma boa parte da coleção já foi revelada e já podemos ter uma ideia mais acertada sobre as estruturas, mecânicas e arquétipos que serão apoiados.



    Como sabemos, Theros é um plano inspirado na mitologia greco-romana e essa é nossa segunda visita a ele. Embora muito da estrutura do primeiro bloco seja ainda visível, como a ênfase na tríade Deuses, Heróis e Monstros, Além da Morte diverge ao lançar luz no submundo do plano, que foi propositadamente omitido nas coleções anteriores.



    E falando em Deuses os cinco deuses mono-coloridos continuam os mesmos, Heliode, Tassa, Érebo, Púrfuro e Nileia, e continuam com as mesmas características: são indestrutíveis; precisam de ao menos 5 de devoção de sua cor para se tornarem criaturas; têm uma habilidade passiva, seja desencadeada ou efeito contínuo, e também uma habilidade ativada.



    Deuses TBD 1



    Entre os cinco Heliode e Tassa se destacam por terem já de cara usos claros em formatos competitivos. Heliode possui uma interação fortíssima com Balista Ambulante, gerando tiros infinitos para o construto, e Tassa têm boa afinidade com efeitos de entrar no campo de batalha, em especial Mestre das Ondas.



    Deuses TBD 2



    Uma nova deusa também foi revelada na combinação GR, a mesma do falecido Xenagos. Ela é Klothys, a deusa do destino, que se encontrava antes presa no submundo. A carta em si tem status decentes, um custo de mana atrativo e uma habilidade relevante num mundo de Escapatória, mas, para contrabalançar, ela necessita ao menos 7 de devoção, como é de praxe para os deuses multicoloridos.



    Klothys



    Pelo que sabemos da história, os deuses estão em guerra e cada um escolheu seu campeão, os transformando em um semideuses. Já conhecemos três destes, o campeão de Heliode, Daxos, que já havíamos visto por aqui, a campeã de Tassa, Callafe, e o de Érebo, Tymaret.



    Semideuses TBD



    Eles fazem parte de um ciclo incomum e todos têm um de seus status, poder ou resistência, dependente da devoção para suas cores, sendo que eles já contribuem com no ao menos dois para isso, e também uma outra habilidade.



    Um bom set tem bons reprints e Theros: Além da Morte tenta não decepcionar nesse quesito. Tutor Idílico é uma staple absoluta no Commander e beirava na casa dos U$30 por ter até agora apenas sua impressão original. Gray Merchant é uma carta que carrega consigo a fama de uma mecânica inteira, a Devoção, e Field of Ruin uma excelente carta para por em cheque bases de mana muito ousadas e terrenos muito poderosos.



    Reprints TBD



    Finalmente, um último destaque para um reprint funcional. No lançamento de Mystery Booster foi dito que alguns dos conceitos vistos nas Cartas de Testes poderiam chegar ao jogo numa versão que pudesse ser usada em torneios. Pois algumas semanas se passaram e já temos o primeiro exemplo.



    De Mystery a TBD



    O lançamento de Theros: Além da Morte se aproxima, dia 24 de janeiro, mas ainda há bastante a se revelar. Acompanhe a temporada de previews e fique por dentro!



    Finalizamos assim mais um Boletim. O que você está achando de Theros: Além da Morte? Está gostando dos personagens que fazem seu retorno? E o que pensa sobre os novos? Sinta-se livre para nos contar usando a seção de comentários. Você também pode nos alcançar por nossa página no Facebook ou Twitter. Obrigado pela leitura.



    Thiago Santos dos Artesãos do Magic


  • Boletim dos Artesãos - MOCS 2020 e o Pioneer sem Oko

    Boletim dos Artesãos - MOCS 2020 e o Pioneer sem Oko

    por artesaosdomagic em 30/12/2019 - 147 Visualizações, 0 Comentários.

    Olá e sejam bem-vindos ao último Boletim dos Artesãos do ano, armado com o que de mais importante aconteceu no mundo de Magic: the Gathering. Nessa semana temos um pouco de tudo com a reformulação do Programa de Jogo Premier do Magic Online (MTGO) e o como está o Pioneer após os mais recentes banimentos e antes da primeira B&R do ano. Então vamos logo saber sobre as últimas notícias do ano.



    O Novo Programa de Jogo Premier



    No começo deste mês, no dia 5, a Wizards revelou seu novo Programa de Jogo Premier para sua plataforma digital mais antiga, o Magic Online (MOL). O objetivo dessa reformulação era abandonar a complexidade do sistema anterior, que utilizava várias moedas diferentes para eventos semelhantes, e ao mesmo tempo integrar o circuito do MOCS e do Players Tour.



    Uma das mudanças notáveis do novo programa é a adoção de um sistema de temporadas. Cada temporada terá em torno de 17 semanas e seus próprios eventos, que culminarão em convites para um novo tipo de torneio, o Champions Showcase (“Vitrine dos Campeões”), e para as Finais do Players Tour.



    Antes de chegarmos ao que é esse novo torneio vamos primeiro aos caminho de classificação que o novo sistema oferece. O primeiro detalhe importante é que, seja qual for o formato ou a estrutura, apenas uma moeda será usada ao entrar nos eventos Premier e ela será chamada de Pontos Qualificatórios (“Qualifier Points” ou QPs).



    As formas de se conseguir esses QPs são uma das partes mais naturais do programa, já que utiliza de estruturas que os jogadores já estão acostumados em algum nível. A primeira e mais simples delas é entrando nas populares Ligas ou Queues de Limitado, onde as boas performances serão premiadas.



    A segunda maneira é com os eventos Preliminares, antes só vistos no Limitado, mas que agora se expandem também ao Construído. Standard, Pioneer, Modern, Legacy, Vintage, Pauper e o formato Limitado primário de um dado período (mais comummente o set mais recente) terão vários desses eventos de cinco rodadas cada agendados na temporada, onde jogadores que saírem invictos (5 vitórias) ou com 4 vitórias recebem 40 QPs, o suficiente para entrar em qualquer evento Premier.



    A última fonte imediata de QPs é os Desafios de Formato, que continuam semanalmente para todos os formatos Construídos. Nesses eventos todos os jogadores que alcançarem o Top 8 receberão Pontos Qualificatórios, sendo que o 1° e o 2° recebem 40 desses pontos.



    Fontes de QPs em 2020



    E onde usar esses QPs tão duros de conseguir? Nos eventos Premier, é claro. O primeiro deles e também o mais direto, são os Qualificatórios de Players Tour (PTQs), que, como sabemos, premia o vencedor com um convite a um Players Tour.



    Serão em torno de 25 PTQs por temporada, todos com custo de entrada de 40 QPs e divididos entre os vários formatos do Construído e Limitado. Note, no entanto, que não haverão PTQs de Vintage, embora o formato seja usado para adquirir QPs.



    O segundo braço dos eventos Premier é o circuito do Magic Online Champions Showcase, o novo MOCS, com uma série de eventos relacionados. Para começar temos os Desafios Showcase, que três vezes por temporada substitui os Desafios de Formato, exceto Vintage, e dá ao seu Top 8 convites para o Qualificatório Showcase do respectivo formato.



    Também temos Eventos Showcase de Última Chance, que ao final da temporada substituem os Preliminares e premia os jogadores invictos também com uma chance nos Qualificatório Showcase. A intenção é que esses eventos sejam a última oportunidade de usar os QPs de uma temporada.



    Chegamos então aos Qualificatório Showcase, que serão seis: Standard, Pioneer, Modern, Legacy, Pauper, e Limitado. O campeão desses eventos recebe um convite para participar do MOCS da temporada.



    Finalmente, teremos dois Abertos Showcase, nos quais qualquer jogador pode tentar sua chance a uma classificação sem nem mesmo precisar de um deck, já que esses eventos usarão o formato Selado. O campeão de um Aberto recebe vaga para o MOCS e para um Players Tour, enquanto o segundo colocado só para o Players Tour.



    Tudo isso para nos leva ao Magic Online Champions Showcase, o MOCS que fecha a temporada. Esses serão eventos de oito jogadores (um de cada Qualificatório Showcase e um de cada Aberto Showcase), presencial e, muito provavelmente, transmitido. Uma ótima oportunidade de fazer brilhar os talentos da temporada.



    Os MOCS terão premiação total de U$70.000 e, como adiantamos, o campeão recebe convite para Finais de Players Tour.



    Premiação MOCS



    A Temporada 1 do Programa de Jogo Premier do Magic Online começou dia 10 de dezembro e vai até 15 de abril de 2020. Os detalhes e datas dos eventos podem ser encontrados aqui. Participe!



    O Pioneer Após Oko



    No dia 16 de dezembro Oko, Ladrão de Coroas e Nexo do Destino foram banidas do Pioneer. Os decks Simic que comandavam, Simic Food Ramp e Simic Nexus respectivamente, se mostraram fortes demais para o formato, conquistando muito mais campanhas invictas em ligas e destruindo os adversários em combates diretos.



    Os banimentos abriram porta para que novos tipos de estratégias aflorassem, já que ambas as cartas eram travas para o avanço uma quantidade enorme de decks. Oko, Ladrão de Coroas como uma ameaça extremamente forte que chegava tão cedo como turno dois era uma pedra grande no sapado dos Control, e o núcleo de Comida que o cercava uma parede na frente dos Aggro. Já Nexo do Destino completamente inviabilizava o jogo de atrito com seus infinitos turnos. Então como os decks estão aproveitando a ausência de seus citados malfeitores?



    Decks Pioneer



    O UW Control subiu para se tornar o deck definitivo do arquétipo nesse período. Sem ter que lidar com Oko, Ladrão de Coroas, Veredito Supremo brilha como uma das formas mais eficientes de se lidar com um campo de batalha mais dependente de criaturas.



     



    Além dele temos o pacote clássico de contra-mágicas e vantagem de cartas para assegurar a vantagem conseguida por seus próprios planeswalkers poderosíssimos, Teferi, Manipulador do Tempo, Narset, Rasgadora de Véus e Jace, Arquiteto do Pensamento. Para fechar o jogo o deck pode depender do famoso loop de Teferi, Herói de Dominária, que fez estrago no Standard, ou confiar em algumas escassas cópias de criatura, seja um Caloteiro Descarado // Pequeno Furto ou um finalizador clássico como Mecanotitã Torrencial.



    Na vertente diametralmente oposta temos os decks Vermelho Aggro, que vêm numa variedade muito grande, mas todos apostando em cartas que já tiveram sucesso em outros formatos. Há versões mais voltadas para o Burn, com alto número de mágicas de dano direto e quase que certamente Lança Veloz do Monastério entre suas criaturas e Fundição Sagrada em sua base de mana, dando acesso a Amuleto Boros.



     



     



    Há também versões mais focadas em criaturas, com poderosos drop-3 em Gigante Esmaga-ossos // Pisar e Goblin Líder da Plebe. Essas versões tem uma curva mais alta, podendo jogar um jogo mais longo e com mágicas de alto impacto, incluindo algumas cópias de Chandra, Chama da Rebeldia.



    Se o seu forte for Combo, no entanto, o deck que no momento representa o arquétipo é o Lotus Storm. O combo que, no papel, parece complicado, nada mais é do que emendar mágicas e habilidades que te permitem desvirar Campo de Lótus, como Amarras Ocultas e Vizir das Areias Correntes, gerando uma quantidade absurda de mana que culmina em uma jogada que finalize o jogo.



     



    Para essa última jogada alguns jogadores confiam em Ral, Conduíte da Tempestade e uma Expansão // Explosão gigante. Outros preferem um plano mais sofisticado, com Fadina dos Desejos // Concedido buscando Adentrar o Infinito e Jace, Manipulador de Mistérios do sideboard, habilitados por uma Onisciência no caminho.



    Semana que vem teremos o primeiro anúncio de B&R do ano, que poderia voltar a agitar o formato, mesmo que ele tenha caído num estado que favorece estratégias mais “justas” pela primeira vez desde sua criação. Todos os jogadores estão atentos, pois o anúncio terá fortes implicações para a primeira série de Players Tour de 2020.



    Assim finalizamos mais um Boletim dos Artesãos, o último de 2019. Desejamos a todos um excelente 2020 e espero que nos vejamos no ano que vem. Novidades sobre esse jogo que tanto gostamos com certeza não faltarão! Quais são os seus desejos para esse ano novo? O que foi muito bom em 2019? E o que ainda precisa de melhoras? Sinta-se livre para nos contar usando a seção de comentários. Você também pode nos alcançar por nossa página no Facebook ou Twitter. Obrigado pela leitura.



    Thiago Santos dos Artesãos do Magic


  • Spirits no Pioneer

    Spirits no Pioneer

    por Sachim em 24/12/2019 - 166 Visualizações, 0 Comentários.

    Land e vai.

    É isso mesmo, tudo o que um deck "tempo" precisa fazer. Bons tempos quando esse deck estava assombrando o Standard, mas agora com o pioneer ficou um deck forte e uma boa aposta pro formato.





    Com o Sacode-correntes dando flash para seus Espíritos, te abre muitas opções de jogadas, tricks de combate com Supreme Phantom, Empyrean Eagle  e Selfless Spirit fazem uma presença boa na mesa, e dificulta a vida do oponente.

    Nos primeiros turnos com Mausoleum Wanderer não tenha medo de castar Curious Obsession nele, com o bonus da Obsessão Curiosa ajuda na habilidade dele, e fora o draw que vai te dar muita vantagem.

    A grande carta do deck é obviamente o Spell Queller - como a habilidade dele exila mágicas de custo 4 ou menos, pode ficar tranquilo com as mágicas que não podem ser anuladas.

    Arcanjo Avacyn // Avacyn, a Purificadora faz um bom combo com Selfless Spirit , tanto para fazer ela transformar ou proteger as suas criaturas para não morrer com o dano quando ela transforma. Arcanjo Avacyn // Avacyn, a Purificadora é mais um gosto pessoal, listas mais competitivas usam Brazen Borrower // Petty Theft no lugar, mas ainda acho válido ela pela proteção e pressão que ela coloca na mesa, obviamente os oponentes vão focar ela.



    O side com Jaula do Escavador de Túmulos e Clérigo Arrependido foca contra quem usa muito cemitério, Phoenix, Dredge e Delirium.

    Aliança Abençoada com a habilidade de Escalar te deixa confortável para o que precisar no momento, e para algumas mudanças poderia incluir na lista Mystical Dispute e Surge of Righteousness.



    Jogando com deck tempo/aggro seu oponente fica receoso nas jogadas, se ele ficar na retaguarda, o teu campo vai ficar cheio de criaturas e você conjurando elas no flash, se não, se o oponente decidir arriscar, as respostas que tem no main deck te deixam seguro.



    Espero que tenham gostado, sigam a Eagles Team no Facebook e Instagram para mais novidades.



    Criado por Sachim. Jogador de Magic The Gathering pela Eagles Team 



    #FlyEgl #FlyEagles #MYPcards #MYP  #Mtg #MagicTheGathering #GoEGL #GoEagles #MTGArena



    https://www.facebook.com/EGLTEAM/

  • Boletim dos Artesãos - Os Invitacionais Míticos de 2020

    Boletim dos Artesãos - Os Invitacionais Míticos de 2020

    por artesaosdomagic em 23/12/2019 - 174 Visualizações, 1 Comentários.

    Olá e sejam bem-vindos a mais um Boletim dos Artesãos, que providencia para você tudo o que mais importante aconteceu no mundo do Magic: the Gathering na última semana. E tivemos mais uma atualização de Esports, essa focada nos torneios do Magic Arena, e também novidades em como a história de Theros: Além da Morte será (ou não será) contada. Então vamos logo a todas as informações.



    Theros sem História



    Na segunda feira passada, dia 16, a Wizards publicou um artigo chamado A História nas Cartas de Theros: Além da Morte, um lugar que, a medida que os previews da coleção forem saindo, será preenchido com as cartas que contém algo da essência, construção de mundo e pontos importantes para a história de Theros.



    O choque, no entanto, veio na informação de que não há planos para a publicação de um ebook com a história da coleção, e depois também foi confirmado que nenhuma ficção será publicada no site da Wizards, o que significa que, além das cartas, essa será a única fonte de história do set.



    Com essa decisão a Wizards aponta uma nova direção para as histórias contadas em Magic: the Gathering e quebra completamente a tradição de publicação de ficção acompanhando as coleções que vêm de anos a fio, antes no próprio site da Wizards e mais recentemente com romances publicados por parceiros, como o livro Guerra da Centelha: Ravnica, de Greg Weismen, e o ebook A Busca Selvagem, de Kate Elliot.



    No momento o artigo A História nas Cartas de Theros: Além da Morte contém um breve resumo da história de nossa visita anterior ao plano, que na época foi contada por um ebook em duas partes, Godsend, e algumas imagens que adicionam uma gota de contexto aos personagens que já foram revelados.




    Contexto Elspeth
    Tradução: Morrer em Theros não significa que sua história acabou, e o próximo capítulo de Elspeth está apenas começando. Algo perturba seu merecido descanso em Ilysia - e o que há com essa estranha lança negra?




    A temporada de previews de Theros: Além da Morte continua e o lançamento da coleção é dia 24 de janeiro!



    Os Invitacionais Míticos de 2020



    Mudando de assunto para o Jogo Organizado, foram anunciadas as datas para os três Invitacionais Míticos de 2020, que como contamos aqui, são os eventos de mais alto nível no circuito competitivo do Magic Arena.




    • Invitacional Mítico – Ikoria: Lar de Behemoths: 14-17 de maio

    • Invitacional Mítico – Coleção Básica de 2021: 23-26 de julho

    • Invitacional Mítico – Ascenção de Zendikar: 22-25 de outubro



    Esses serão eventos de 128 jogadores vindos da MPL, Liga de Rivais, Qualificatórios e Convites Discricionários, ainda que não saibamos quantas vagas tenha cada categoria, com premiação total de U$750000 e quatro dias de competição. Os outros detalhes, como formatos, estrutura e local serão anunciados posteriormente.



    Além dos Invitacionais, também foi revelada a data dos Qualificatórios Míticos e Desafios de Pontos Míticos do primeiro semestre do ano que vem, ambos também realizados no Magic Arena.



    Os Qualificatórios estão sofrendo uma mudança de fórmula e se tornando um torneio de apenas um dia. Nele o jogador que esteve entre os 1200 melhores do ranque Mítico no Limitado ou Construído no mês anterior ao evento competirá no formato Standard Melhor-de-3 até que alcance 10 vitórias ou 2 derrotas. Todos os jogadoras que chegarem à décima vitória ganham vaga no respectivo Invitacional.



    Os Desafios de Pontos Míticos segue modelo parecido. A condição para participação é a mesma e o limite de vitórias também, 10. No entanto o limite de derrotas desse evento é 3, ao invés de 2, e ele não classifica diretamente a nenhum outro evento.



    Ambos Qualificatórios e Desafios premiam os jogadores com 200 gemas por vitória. Os eventos ainda darão os preciosos Pontos Míticos, que também serão usados como forma de classificação na temporada, mas a quantidade ainda não foi revelada.



    Qualificatórios/Desafios de Ikoria




    • 11 de janeiro — Qualificatório #1 (Participam os Top 1200 nos ranques de outubro, novembro e dezembro de 2019)

    • 29 de fevereiro — Desafio (Participam os Top 1200 nos ranques de janeiro)

    • 14 de março — Qualificatório #2 (Participam os Top 1200 nos ranques de fevereiro)



    Qualificatórios/Desafios da Coleção Básica de 2021




    • 4 de abril — Desafio (Participam os Top 1200 nos ranques de março)

    • 23 de maio — Qualificatório #1 (Participam os Top 1200 nos ranques de abril)

    • 20 de junho — Qualificatório #2 (Participam os Top 1200 nos ranques de maio)



    São diversas as oportunidades para o jogo competitivo no Arena em 2020 e deve ser um ano rico tanto para jogar quanto para acompanhar as competições na plataforma!



    Fim das Byes em GPs e do MPL Weekly



    Aproveitando que já estamos falando de Jogo Organizado, na atualização anterior a Wizards comunicou que está abolindo o sistema de byes em GPs a partir de 25 de maio do ano que vem.



    A justificava dada foi que essas byes foram criadas quando a comunidade competitiva era muito menor e já não são mais necessárias no atual sistema, que tem outras iniciativas, como os Convites Fracionados, com funções parecidas.



    No mesmo anúncio também foi comunicado que não haverá o show MPL Weekly para a temporada parcial de 2020. Com a Liga de Rivais sendo adicionada ao circuito a Wizards precisará apoiar um grupo completamente novo de jogadores e eles ainda estão pensando na melhor maneira de fazer isso enquanto provêem um ótimo conteúdo.



    Final do Team Series 2019



    Finalizando a edição de hoje, a Wizards também anunciou que a Final do Mythic Championship Team Series acontecerá no MagicFest Austin dia 12 de janeiro. Duas equipes, Ultimate Guard Pro Team e Hareruya Sword, se enfrentarão pelo título e premiação de U$100000 para a vencedora, com a vice campeã levando U$50000.




    Ultimate Guard Pro Team
    A Ultimate Guard Pro Team é composta por Andrew Cuneo, Reid Duke, Jon Finkel, William Jensen, Paul Rietzl e Matt Sperling.





    Hareruya Sword
    A Hareruya Sword é formada por Kelvin Chew, Jérémy Dezani, Javier Dominguez, Grzegorz Kowalski, Andrea Mengucci e Lee Shi Tian.




    O formato da competição é um dos fatores que mais chama a atenção: Draft de Theros: Além da Morte uma semana antes dos eventos de pré lançamento. Para o embate cada equipe se dividirá em dois grupos de três jogadores, que irão draftar o set e se enfrentar.



    Se uma mesma equipe ganhar os dois embates entre os grupos ela será a equipe vencedora. Se houver um empate após os dois primeiros embates, os dois grupos vencedores se enfrentarão para decidir quem de fato ficará com o título.



    A Final do Team Series será transmitida no canal do Magic na Twitch a partir das 9:00 CST, 12:00 no horário de Brasília, e após a final a transmissão continua com o Top 8 do GP Austin.



    Assim acaba mais um Boletim dos Artesãos. O que você acha da nova direção da história do Magic? Você gosta do modelo de Invitacionais do Arena? E está empolgado para jogar um Qualificatório/Desafio na próxima temporada?  Sinta-se livre para nos contar usando a seção de comentários. Você também pode nos alcançar por nossa página no Facebook ou Twitter. Obrigado pela leitura.



    Thiago Santos dos Artesãos do Magic


  • Boletim dos Artesãos - Theros à Vista

    Boletim dos Artesãos - Theros à Vista

    por artesaosdomagic em 16/12/2019 - 202 Visualizações, 0 Comentários.

    Olá e sejam bem vindos a mais um Boletim dos Artesãos, fornido com o que de mais importante aconteceu no mundo de Magic: the Gathering na última semana. Entre os assuntos de hoje temos o mais recente Estado do Jogo do Magic Arena a as novidades anunciadas no The Game Awards. Então vamos nessa saber de tudo o que aconteceu.



    Brawlidays e Suspensões no Histórico



    O Estado do Jogo do Magic Arena para o mês de dezembro foi publicado e trouxe mais uma atualização sobre a performance da plataforma. Segundo os desenvolvedores o update de novembro reduziu drasticamente o número de jogadores que estavam experimentando instabilidades. Ainda há trabalho a ser feito, no entanto, principalmente na frente dos vazamentos de memória.



    Mudando de assunto para o Brawl, foi anunciado um novo tipo de evento para o formato chamado Brawlidays. Esse será um evento de entrada única no valor de 10000 de ouro ou 2000 gemas em que você poderá jogar Brawl contra outros jogadores em qualquer dia e qualquer horário de 12 de dezembro a 16 de janeiro.



    Além da opção de jogo liberada para o Brawl os jogadores que entrarem no Brawlidays receberão uma cópia da carta Rhys, o Redimido, que se torna legal tanto neste formato quanto no Histórico, seja como comandante ou entre as outras cartas do deck. Rhys, o Redimido também poderá ser adquirido usando Wildcards.



    Rhys no Arena



    O anúncio do Brawlidays pegou os jogadores de surpresa e não de uma forma boa. Depois de relutar em criar um modo de jogo fixo para o Brawl, alegando não querer diluir sua base de jogadores, fazer exatamente isso, mas com cobrança de ingresso não passa a melhor das impressões.



    O Brawl continua acessível gratuitamente às quartas-feiras e por via desafio direto.



    E como já o mencionamos vamos ao Histórico, que recebe mudanças além da carta nova neste update. Sobre o formato foi dito que a equipe está satisfeita com a atual diversidade de decks e com os resultados do lançamento da Antologia do Histórico I, mas que algumas cartas se mostraram problemáticas.



    Para tratar esse problema o novo conceito de Suspensão entra em jogo, que faz uso da flexibilidade de uma plataforma online. Suspensão nada mais é do que o banimento de uma carta até o fim de uma temporada ranqueada. 



    Enquanto a carta estiver banida o impacto de sua ausência no formato poderá ser analisado e se seria possível que o problema seja resolvido com a inserção de novas cartas no Histórico, seja com uma coleção nova ou mesmo uma nova Antologia. Finalmente, no fim da temporada ranqueada será decidido se a carta será definitivamente banida ou se será reintegrada ao formato.



    E é claro que você pode imaginar quais são as primeiras cartas a entrar na lista de Suspensas. Depois de receberem o martelo no Standard e/ou no Pioneer Campo dos Mortos, Era Uma Vez, Véu do Verão e Oko, Ladrão de Coroas estão suspensas do Histórico.



    Magic: Legends Revelado



    Depois de quase um ano e meio desde as primeiras notícias de seu desenvolvimento finamente podemos ver algo do MMO RPG baseado no mundo de MTG, através de um anúncio no The Game Awards, e seu nome é Magic: Legends. O jogo é uma parceria entra a Wizards, a Cryptic Studios e a Perfect World.



    Magic: Legends



    Cryptic Studios é uma desenvolvedora conhecida por sua experiência em MMOs, especialmente baseados em propriedades de outras empresas. Ela trabalhou no lançamento do jogo Neverwinter, baseado em Dangeons & Dragons, outra propriedade da Wizards, e em Star Trek Online. Todos estes jogos foram publicados pela Perfect World.



    Ainda não há muitas informações sobre o jogo, mas sabemos que “o objetivo é permitir que as pessoas sejam os planinautas” pelo que disse Stephen D’Angelo, CEO da Cryptic Studios. Magic: Legends deve entrar em beta em 2020 (se inscreva aqui), e estará disponível para Playstation 4, Xbox One e PCs.



    De Volta à Theros



    Estamos a apenas algumas semanas do lançamento do aguardado retorno ao plano inspirado na mitologia greco-romana, Theros: Além da Morte, então já era hora de ouvirmos falar mais da coleção. Assim, a Wizards, mais uma vez aproveitando o The Game Awards, deu o pontapé inicial para a temporada de previews do set.



    Começamos com o trailer da coleção, que segue o modelo adotado desde Guerra da Centelha, sendo todo em CGI. Nele vemos o embate entre os dois planinautas que serão o destaque do set: Elspeth e Ashiok. Mas não paramos em apenas vê-los no trailer, também foram reveladas as cartas dos dois na coleção, tanto com a arte comum quanto com a arte alternativa.



    Espeth e Ashiok



    Também foi revelada a promocional de Buy-a-Box, Atreos, que não podia deixar de aparecer, sendo um deus chave para o submundo no panteão de Theros.



    Atreos em TBD



    Fechando esse primeiro pacote, temos novos e lindíssimos terrenos full-art em que os símbolos de mana são representados em constelações em Nyx, o céu de Theros e lar dos deuses.



    Terrenos Full-art Nyx



    Ainda não acabamos, pois também já temos o artigo de mecânicas presentes em Theros: Além da Morte. A única mecânica inédita da coleção é Escapatória, que representa o enfraquecimento da barreira entre o mundo dos mortais e o submundo. Com essa mecânica uma carta pode ser conjurada do cemitério pagando o custo de Escapatória e exilando um certo número de cartas do cemitério. A mecânica pode ser ativada quantas vezes o jogador quiser, conquanto tenha cartas suficientes a serem exiladas.



    São três as mecânicas que retornam, sendo duas da nossa primeira visita a Theros. A primeira delas é Devoção, que conta o número de símbolos de uma determinada cor no custo de mana de suas permanentes para efeitos variados. Constelação também retorna e é uma mecânica ligada a habilidades desencadeadas sempre que um encantamento entra no campo de batalha.



    A última mecânica não é originária de Theros, mas de Dominaria, e, no entanto, faz uma combinação perfeita com a atmosfera do plano. Sagas são um tipo de encantamento que tem um número de efeitos divididos em capítulos, cada um se ativando em turnos subsequentes, como uma história sendo contada.



    TBD Mecânicas



    Finalizando, sabemos que os Boosters de Colecionadores continuam na coleção, o que significa bordas showcase. Para Theros: Além da Morte teremos seis raras e cinco incomuns com um tratamento de borda de constelação, e essas cinco incomuns são todas semideuses como este novo Daxos.



    Daxos TBD



    Ainda há um infinito a se revelar sobre a coleção, incluindo um terceiro planinauta que já foi confirmado. Para saber onde encontrar todos os previews você pode conferir este artigo! Theros: Além da morte tem lançamento marcado para 24 de janeiro de 2020.



    Assim finalizamos mais um Boletim. O que você acha do Brawl digital divergindo do físico com a adição de Rhys, o Redimido? Você gostou do trailer de Theros: Além da Morte? E o que espera do restante da coleção? Sinta-se livre para nos contar usando a seção de comentários. Você também pode nos alcançar por nossa página no Facebook ou Twitter. Obrigado pela leitura.



    Thiago Santos dos Artesãos do Magic


  • BG Bruxas Pioneer

    BG Bruxas Pioneer

    por SchimanS em 11/12/2019 - 227 Visualizações, 0 Comentários.

                       Para aqueles que estão querendo montar um deck no formato Pioneer, só que não querem investir muito dinheiro e ter um retorno agradável, apresento a vocês o BG Bruxas. Um deck bem divertido de jogar onde foca o seu controle na mesa não deixando absolutamente nada vivo, tendo em conta que no main deck possui 21 remoções.



                     O foco do deck e segurar o jogo até que venha a Bruxa Amaldiçoada // Maldição Infecciosa , onde por pressão na mesa sendo um 4/2 ao morrer ela vira uma maldição onde seu oponente na manutenção perde 1 ponto de vida e você ganha outro (é muito bom quando se transforma mais do que uma em uma partida).



                    Outras cartas que podem levar o jogo ao fim são Guardião da Flora de Murasa, Monstro Gitrog, World Breaker, Tasigur, the Golden Fang, Ob Nixilis Reaceso  e Pântano Sibilante .



                    Outras duas cartas que levam em destaque são Guardião da Flora de Murasa  quando entra e sai de campo de batalha que lhe ajuda muito buscando uma carta especifica que se encontra no cemitério, como exemplo Para o Abate , que uma carta muito forte quando se esta em delírio e o oponente esta encantado com a maldição que reduz o custo para se conjurar sendo possível tirar um PW e uma criatura com uma mana no turno do oponente.



                    E no side board não tem como esperar nada além menos do que mais remoções, e ajudas para enfrentar cartas especificas no deck do adversário como  Obliteração Infinita e Lost Legacy 



                    Mas em resumo o deck se sai muito bem contra decks agros e traz grandes partidas contra outros decks controles. Espero que tenham gostado, e fiquem ligado para mais novidades da Eagles Team.



     



    Criado por SchimanS. Jogador de Magic The Gathering pela Eagles Team 



    #FlyEgl #FlyEagles #MYPcards #MYP  #Mtg #MagicTheGathering #GoEGL #GoEagles #MTGArena



    https://www.facebook.com/EGLTEAM/

     


  • Boletim dos Artesãos - Vitória de Głogowski e a Cara do Magic em 2020

    Boletim dos Artesãos - Vitória de Głogowski e a Cara do Magic em 2020

    por artesaosdomagic em 09/12/2019 - 113 Visualizações, 0 Comentários.

    Olá e sejam bem-vindos a mais um Boletim dos Artesãos, farto com o que de mais importante aconteceu no mundo de Magic: the Gathering na última semana. E, como antecipamos na edição anterior, tivemos nesse último fim de semana o Campeonato Mítico VII, último desta temporada profissional e que definiu quem estará na temporada de transição 2020-2021. Vamos logo saber quais foram os resultados!



    Standard de Trono de Eldraine 3.0



    Depois de dois períodos de extrema dominância no Standard que levaram a duas séries de banimentos, com a primeira vítima sendo Campo dos Mortos e logo depois chegando a vez de Oko, Ladrão de Coroas, muitos jogadores imaginavam o que seria desse Standard depois de reinícios consecutivos.



    A solução mais simples para esse tipo de situação é simplesmente pegar um deck que já tinha certo sucesso no momento anterior e ajustá-lo ao momento atual, mas mesmo esses casos têm seus pontos de flexibilidade, que poderiam ser postos à prova nesse campeonato de alto nível.



    Vejamos, por exemplo, os decks Golgari Adventure. Focados na nova mecânica de Eldraine e apoiados pelo poder de Estalajadeiro de Beiramuro, eles  podem variar entre ir fundo na sinergia fornecida pela mecânica, com Trevo da Sorte, ou diversificar adicionando O Grande Círculo ao plano.



    Nas variantes de Sacrifice, o foco é sempre a interação entre Familiar do Caldeirão e Forno da Bruxa, mas esse pacote pode vir de várias maneiras. Se o embrulho for de cores Jund veremos um deck que quer fazer uso do maior número e melhores interações de sacrifício possíveis, especialmente Korvold, Fae-Cursed King. A versão Golgari troca o Vermelho por uma base de mana melhor e mais interação em Casualties of War. Finalmente, a versão Rakdos adiciona Claim the Firstborn para acabar com o campo de batalha do oponente.



    Entre os decks já estabelecidos o que estava mais perto de sua versão definitiva era o Jeskai Fires. O deck busca estabilizar o jogo até que possa conjurar seu encantamento característico, Fogos da Invenção, e a partir daí se apoiar nele para fechar o jogo com seus Cavaleiros (Cavaleiro da Chama e Cavaleiro dos Vendavais).



    Havia também quem tentava atacar o Metagame por um novo ângulo. Nessa vertente estavam os decks Flash, seja no estilo Izzet ou no Simic. Enquanto as duas versões atritam o oponente com contra-mágicas no tempo certo e criaturas no fim do turno, a versão Izzet conta com Degolador Salmourígeno e Gadwick, o Enrugado, que dependem que várias mágicas sejam conjuradas, e a versão Simic confia em Nightpack Ambusher e Mística de Gola.



    Tudo isso fervia no caldeirão do Standard e no começo do Campeonato o formato se apresentou da seguinte forma:



    Metagame MCVII



    O deck mais popular foi o Jeskai Fires, 17,9%, mas, entre os jogadores da MPL este título fica com Jund Sacrifice, ao todo 13,4%. Fechando os Top 3 decks mais populares tivemos Golgari Adventure com 11,9%.



    A estratégia mais popular foi de longe a de Sacrifício. Agregando Jund, Golgari e Rakdos temos cerca de um terço dos jogadores, 32,8%. As variantes Flash também tiveram bons números nessa área, a versão Izzet teve 9% do campo e a Simic 6%.



    No entanto, popularidade não é o mesmo que sucesso, e para avaliar este último nos voltamos para os dados de embate do campeonato. Importante lembrar que, por ser um campeonato relativamente pequeno, 67 participantes, esses números são o bastante para apontar tendências, mas não para tirar conclusões definitivas.



    Pois bem, tendo isso em vista o melhor deck do Campeonato Mítico VII foi o Simic Flash. O deck venceu 67% de suas partidas no geral, teve poucos embates desfavoráveis no campo e foi superior ao seu concorrente Izzet em basicamente todos os aspectos.



    Na cola ficou o Jund Sacrifice, que venceu 58% de suas partidas. O deck foi sólido no campeonato e teve apenas um embate desfavorável significante em Jeskai Fires. Mais importante, o deck venceu 63% de seus jogos contra Simic Flash e também se mostrou a combinação de cores dominante para a estratégia.



    Entre os decks perdedores do evento figuram Golgari Adventure e Jeskai Fires. O primeiro venceu 48% de suas partidas, o que não é de todo ruim, mas o deck deixou a desejar em campanhas vencedoras e sua versão clássica foi simplesmente mal no campeonato.



    O problema de Jeskai Fires é outro, embora também tenha ficado abaixo da metade, com 49% de vitórias. A questão para o deck é que ele foi completamente destruído por Simic Flash, vencendo o embate apenas 11% das vezes. Se espera que a popularidade deste último ainda suba, o que para Jeskai Fires é má notícia.



    Em resumo temos um Standard bem diverso no momento, com vários decks viáveis. No topo temos Simic Flash que parece ser vulnerável ao Jund Sacrifice e este é vulnerável ao Jeskai Fires, que completa o ciclo sendo fraco contra o Simic Flash. Além disso há muitas aberturas para que outros decks tentem se estabelecer.





    Sendo assim as chances de que esse seja um período saudável para o formato são grandes, e poderemos esquecer por um tempo os frequentes banimentos.



    Piotr Głogowski Campeão do Campeonato Mítico VII



    Voltando nossos olhos agora para as campanhas individuais, o Campeonato Mítico VII teve um dos Top 8’s mais talentosos da história recente desse tipo de evento.



    Top 8 MCVII



    Javier Dominguez (Simic Flash) conquistou mais um Top 8 expandindo ainda mais sua incrível dominância que já dura um par de anos. Ele pilotou uma construção própria de Seth Manfield que levou os dois e mais Brad Nelson ao Top 8 e, como vimos acima, foi o melhor deck do campeonato.



    Andrea Mengucci (Simic Ramp) adicionou mais uma rica campanha a um ano incrível que inclui o título do Invitacional Mítico e Paulo Vitor Damo da Rosa (Jeskai Fires) a uma carreira incrível que o coloca ainda mais perto de ser indubitavelmente o melhor de todos os tempos.



    Já ambos os Desafiantes do grupo, Chris Kvartek (Golgari Adventure) e Miguel da Cruz Simões (Jund Sacrifice), fizeram a proeza de se classificar pela segunda vez no ano pelo Qualificatório do Magic Arena e levaram seu sucesso até a fase eliminatória.



    Finalizando, temos Piotr Głogowski (Jund Sacrifice), que começou o campeonato no Dia 2 por ganhar sua divisão na MPL e não perdeu nenhuma partida para passar para a fase de mata-mata. Manter a invencibilidade seria difícil com um Top 8 tão recheado, mas o polonês estava confiante.



    Ele começou o domingo vencendo Seth Manfield que é sempre um oponente difícil, ainda mais nessa fase da competição. O oponente seguinte não foi nem um pouco mais fácil, o brasileiro PVDDR, mas ele continuou invicto. Continuando o nível de desafio, o próximo embate foi contra Javier Dominguez, mas Piotr já havia mostrado que não se importava com o tamanho do oponente, vencendo mais uma e indo à grande final.



    Os embates da parte de baixo foram tais que Brad Nelson, um especialista em Standard reconhecido, foi o oponente designado para o último embate. Para adicionar um pouco de incentivo à batalha eles estariam disputando a última vaga para o Mundial que ocorre ano que vem.



    A resposta de Piotr Głogowski para o confronto só poderia ser uma, afinal o que mais ele poderia fazer se não continuar ganhando? E foi exatamente isso que ele fez, finalizando uma campanha perfeita que o deu o título do Campeonato Mítico VII. Parabéns ao jogador!



    Piotr Campeão do MCVII



    A Cara do Magic Profissional em 2020



    Com as disputas acabadas já temos quase todos os nomes que comporão o Magic profissional em 2020.



    No Mundial de Magic XXVI, que acontecerá no Havaí em fevereiro teremos 16 competidores: o atual campeão Javier Dominguez, as sete vagas por Campeonatos Mítico, as quatro vagas pela MPL e as quatro vagas pelos desafiantes.



    Competidores Mundial



    Na MPL temos os melhores 20 participantes da liga nessa temporada mais os 4 melhores Desafiantes.



    MPL 2020



    Já na formação Liga de Rivais teremos os 12 rebaixados da MPL, os 8 classificados via Arena e os 8 classificados via jogo físico. Ainda restam saber os 4 jogadores que serão convidados para fechar os 32 integrantes.



    Rivais 2029



    Com certeza 2020 será um ano com muitos títulos e embates emocionantes. Esperemos que seja ainda melhor que 2019!



    Assim terminamos mais um Boletim. O que achou da conclusão da temporada profissional? Os jogadores por quem você torceu tiveram sucesso este fim de semana? E o que esperar para o ano que vem? Sinta-se livre para nos contar usando a seção de comentários. Você também pode nos alcançar por nossa página no Facebook ou Twitter. Obrigado pela leitura.



    Thiago Santos dos Artesãos do Magic


  • Boletim dos Artesãos - As Corridas Pelo Mundial, MPL e Rivais

    Boletim dos Artesãos - As Corridas Pelo Mundial, MPL e Rivais

    por artesaosdomagic em 02/12/2019 - 137 Visualizações, 0 Comentários.

    Olá e sejam bem-vindos a mais um Boletim dos Artesãos, amplo com o que de mais importante acontece no mundo do Magic: the Gathering. Semana passada tivemos o anúncio de mais uma linha de produtos voltada aos colecionadores chamada “Covil Secreto” (Secret Lair) que agitou a comunidade. Para além disso, as atenções se voltam para o Campeonato Mítico VII, o último do ano e que define a cara do Magic profissional em 2020. Então vamos logo ficar por dentro de tudo isso.



    Covil Secreto Revelado



    A Wizards, por meio de suas redes sociais, passou algum tempo nos provocando com algo novo chamado Secret Lair e finalmente anunciou o que de fato é isso na última segunda-feira, dia 25. E Secret Lair não é nada mais nada menos do que a mais nova linha de produtos do Magic com foco, pelo menos a princípio, nos colecionadores.



    Secret Lair



    A linha vem como uma forma de produzir cartas que não poderiam ser encaixadas nos lançamentos regulares por terem um estilo e direção de arte incomuns, muito diferentes do que normalmente se vê impresso nas cartas. Dessa forma inúmeras criações que antes só ficaram na imaginação dos designers poderão ganhar vida.



    O primeiro produto que chega com Secret Lair é a Série Drops, que são lançamentos separados que reúnem um pequeno grupo de cartas, normalmente 3 a 5, de um tema específico, dá a elas uma novo estilo de arte e sela tudo numa caixa colecionável.




    Secret Lair Drops Series
    Serão 7 Drops para inaugurar Secret Lair, incluindo os acima. Todas as informações neste artigo.




    O método de distribuição para a Série Drops é a loja oficial da Wizards e terá, como os outros produtos para colecionadores, oferta limitada. Temos uma mudança para os Drops, no entanto: ao invés de limitar o número de cópias totais vendidas a Wizards está limitando o tempo em que o produto ficará disponível para compra. Cada Drop ficará na loja da Wizards por 24 horas e todas as unidades compradas nesse período serão contempladas, com limite de cinco unidades por consumidor.



    Uma má notícia sobre o método de distribuição é que a Wizards ainda não faz entregas internacionais para o Brasil, então não há uma maneira formal de adquirir estes produtos por aqui.



    Importante notar que, com os estilos de borda incomuns indo para o Projeto Booster Fun (que você pode saber o que é aqui) e os estilos de arte incomuns agora indo para Secret Lair, a Wizards parece estar se afastando das Edições Míticas que foram lançadas anteriormente.



    Foram confirmados mais Drops para 2020 e esses são apenas um, o primeiro, tipo de produto a sair do Covil Secreto. Essa é mais uma marca com grande potencial para a empresa, e esperamos que também de muito sucesso.



    A Corrida Pelos Pontos Míticos



    Estamos às vésperas do evento final da temporada profissional do Magic: the Gathering e, entre Mundial e Ligas MPL e Rivais de 2020, há muito em jogo para muitos jogadores, estejam eles competindo nesse fim de semana ou não. E graças ao usuário do twitter @jpball5 temos uma clara ideia do que pode acontecer na competição.



    Começando pela MPL os jogadores da parte de cima brigam por 4 vagas no Mundial, sendo que, se o jogador se classificou de outra forma, a vaga segue para o próximo na classificação, caso de Javier Domínguez, atual Campeão Mundial e líder da MPL, por exemplo.



    Nesse momento Márcio Carvalho, Seth Manfield, Lee Shi Tian e Andrea Mengucci ficariam com as vagas, sendo que Carvalho tem a vantagem de ter ganho sua divisão da MPL, avançando direto ao Dia 2. 



    Ainda na briga estão nomes como Brian Braun-Duin, PVDDR, Ken Yukuhiro e Reid Duke, que podem chegar lá com um Top 16, e Rei Sato, Brad Nelson e Shahar Shenhar, que podem chegar com um Top 8. Outros jogadores precisam de um Top 4 ou mesmo do título para se classificarem, mas tudo é possível, então não duvide.



    Na parte de baixo da Liga está a briga contra o rebaixamento. Já que a MPL será reduzida a 24 jogadores na próxima temporada somente os 20 melhores classificados mantém seu status (os demais integrantes da liga virão dos Desafiantes).



    Entre os jogadores que já estão na zona de perigo Carlos Romão, Christian Hauck, Martin Juza e Mike Sigrist podem se manter com um Top 16 ou melhor. Para John Rolf e Matthew Nass o mínimo é um Top 4, enquanto que Lucas Berthoud, Luis Salvatto e Bem Stark precisam vencer e ainda torcer contra adversários.



    E quanto aos Desafiantes de 2020? Bem, assim como a MPL, os Top 4 têm vaga no Mundial, mantendo que jogadores já classificados passam a vaga adiante, caso de Ondrej Strasky, campeão do Campeonato Mítico VI.



    E já temos dois jogadores garantido na competição pelos Desafiantes: Raphael Lévy e Sebastian Pozzo! As últimas vagas estão entre Christopher Kvartek, Gabriel Nassif, Stanislav Cifka e Luis Scott-Vargas, sendo que esse último não joga o MCVII e depende do resultado dos outros competidores.



    Na disputa pela MPL o Top 4 geral estará classificado e nesse caso só Raphael Lévy tem sua vaga garantida. Ainda batalhando estão Strasky, Kvartek, Nassif, Cifka e Pozzo. Strasky não jogará neste fim de semana, mas está em uma posição muito confortável, quase que 100% garantido.



    Quanto aos outros, Kvartek ganha a vaga com um Top 16, Nassif com um Top 8, ou talvez nem precise de tanto, a depender dos outros, e Cifka precisa ser o campeão do torneio. Pozzo, como Strasky, não joga o campeonato e precisa torcer para que todos eles tenham performances ruins.



    O último tópico é a Liga de Rivais! Os Top 8 jogadores de físico e os Top 8 jogadores de digital tem vaga. Todos os nomes acima que não estiverem na MPL estarão entre os Rivais. Pelo lado do Arena, Mattia Leveratto e Kai Bude estão confirmados. 



    Alguns outros nomes prováveis que você pode reconhecer pelo Arena são o streamer Kenji Egashira e Greg Orange, campeão do Pro Tour do 25º Aniversário. Pelo físico temos o jogador e produtor de conteúdo Matt Sperling e Thoralf Severin, campeão do MCIV.



    São muitos nomes e muitas posições em jogo, boa sorte a todos os competidores!



    O Campeonato Mítico VII



    Os 32 membros da MPL e mais 36 desafiantes jogarão o último campeonato do ano neste fim de semana! Com muito em jogo eles competirão no Magic Arena jogando Standard nos três dias de competição.



    No Dia 1 haverá 8 rodadas de suíço, com os jogadores com 4 derrotas sendo eliminados e os melhores 24 avançando. No Dia 2 mais 7 rodadas de suíço e um corte para o Top 8. Como nos eventos anteriores no Arena, o Top 8 será de eliminação dupla.



    Você pode conferir todas as informações sobre o campeonato neste artigo.



    Tudo será transmitido no canal da Wizards na Twitch a partir das 9:00 PST (14:00 horário de Brasília) nos três dias, 6 a 9 de decembro. Acompanhe!



    Assim finalizamos mais um Boletim dos Artesãos. O que você acha da ideia de Secret Lair? Para quais jogadores está torcendo na MPL? E entre os Desafiantes? Sinta-se livre para nos contar usando a seção de comentários. Você também pode nos alcançar por nossa página no Facebook ou Twitter. Obrigado pela leitura.



    Thiago Santos dos Artesãos do Magic


Outros Produtos

  • Green Theme Booster - Throne Of Eldraine (em Inglês)

    1 item(s) R$ 37.90
  • CENTRAL SHIELD - branco

    1 item(s) R$ 44.90
  • PLANESWALKER DECK - THEROS ALÉM DA MORTE ASHIOK

    1 item(s) R$ 69.90
  • CENTRAL ALBUM 2X2 - PRETO

    1 item(s) R$ 79.90
  • Inscrição Champs 5,00

    30 item(s) R$ 5.00
  • Dragon Shield Perfect Fit Size Clear 100

    5 item(s) R$ 48.00