Faça um desejo!

Escrito por Buffix
Publicado em 22/10/2019
110 Visualizações, 0 Comentários.

"Espere minha visita quando a escuridão chegar. Acho a noite melhor para tudo esconder."

-Ouallada (flavor de Juzám Djinn)

Atenção classe, todos aos seus lugares! Essa semana eu gostaria de discutir um pouco a construção de sideboard. Sabemos o básico: sideboard é o conjunto de cards que você pode levar para um campeonato com número máximo de 15 cartas e que você pode recorrer após o primeiro jogo para melhorar sua estratégia de jogo contra determinados decks. Mas recentemente no standard, temos tido algumas adições que nos possibilitam usar o sideboard no game 1. Hoje eu quero falar sobre os wishboard (numa tradução bem tosca de sideboard de desejo). O ciclo de desejos originais vem da coleção de Julgamento e apresentava essa mecânica de buscar magias fora do jogo:

Bem vamos começar pela parte das regras que envolvem os Desejos. Dentro de um jogo casual, você pode utilizar qualquer coleção pessoal para buscar as cartas. Dentro de um jogo competitivo, considera-se "fora do jogo" as cartas que se encontram no seu sideboard.

Cartas exiladas são consideradas "fora do jogo"?

Segundo o comprehensive rules, a regra 406 determina o exílio enquanto uma zona dentro do jogo que tem como uma de suas funções essenciais segurar cartas e efeitos em algum lugar, temporariamente ou não, impedindo-o em alguns casos de ir para outra zona de jogo (cemitério, mão, etc.). Caso especial é do Karn, o Grande Criador que consegue resgatar cartas do exílio. Entretanto, de acordo com a regra 406.3 o artefato que o Karn irá buscar deve ser exilado com a "face voltada para cima" o que complica mais a regra quando temos na equação um Thief of Sanity. Mesmo que tenhamos certeza que ele exilou um artefato, não é possível buscar esse artefato. Logo cartas exiladas não podem ser consideradas "fora do jogo". 

406.1 The exile zone is essentially a holding area for objects. Some spells and abilities exile an object without any way to return that object to another zone. Other spells and abilities exile an object only temporarily.

406.3 Exiled cards are, by default, kept face up and may be examined by any player at any time. Cards “exiled face down” can’t be examined by any player except when instructions allow it. However, once a player is allowed to look at a card exiled face down, that player may continue to look at that card as long as it remains exiled, even if the instruction allowing the player to do so no longer applies. A card exiled face down has no characteristics, but the spell or ability that exiled it may allow it to be played from exile. Unless that card is being cast face down (see rule 707.4), the card is turned face up just before the player announces that they are playing the card (see rule 601.2).

 Escolher uma carta de fora do seu deck altera a forma como encaramos a criação de decks. Agora não temos que pensar em 60 cartas de maindeck mais 15 de sideboard mas sim analisar as 75 cartas como um todo conjunto e que altera a jogabilidade desde o game 1. E porque eu quis trazer esse ponto de discussão?

Bem...

A Fadina dos Desejos // Concedido tem sido uma carta com um poder considerável dentro do atual metagame de Trono de Eldraine. Em conjunto com Fogos da Invenção e o uso de Golos, Peregrino Incansável temos visto a criação de decks que possuem acesso a diversas respostas sem necessariamente ter as cores de mana para conjurá-las normalmente. Tomemos como exemplo a lista trazida por Autumn Burchette ganhadorx do penúltimo Mythic Championship. Sua lista escolhida para Trono de Eldraine foi a seguinte:

Deck Golos Fires - Arena Standard

Autumn Burchette

Autor: Buffix


0,72

Para entender a criação desse wishboard de classificar as cartas que a fadina pode procurar segundo o artigo escrito pelo Paulo Vitor Damo da Rosa para a SCG em que ele descreve cinco tipos de cartas que poderiam vir a ser tutoradas:

1. Respostas Simples e de custo baixo.

2. Respostas Específicas a determinadas estratégias.

3. Cartas que agregam muito valor.

4. Cartas variadas que possuem um mesmo efeito.

5. Peças adicionais de combo.

Podemos encontrar algumas dessas categorias dentro do wishboard da Autumn: respostas simples e de custo baixo em Devout Decree, resposta específica em Unmoored Ego (respondendo muito bem Field of the Dead recentemente banido), cartas que agregam muito valor em Nicol Bolas, Dragão-deus e Planewide Celebration, certa redundância de cartas em Time Wipe e Planar Cleansing e até cartas que são peças de "combo" em Chance for Glory. Entretanto vemos a presença de cartas não-tutoráveis como Agent of Treachery e outros sideboard tinhamos a presença de um terceiro Kenrith, o Rei Regresso que abusa dos terrenos desvirados. O ponto principal que eu gostaria de trazer ao tratar de wishboard é justamente essa:

Usar um wishboard significa jogar sem sidear games 2 e 3?

Não. Ao utilizar o seu wishboard você sacrifica velocidade de algumas cartas pela sua consistência de ter sempre em mãos o acesso a essas cartas. Ao sidear determinadas cartas como Devout Decree que vimos, estamos focando em conseguir jogar ela no turno 2 contra matchups mais difíceis, como contra Monored e BR sacrifice.

Utilizar a Fadina dos Desejos // Concedido é uma escolha. O Magic é justamente o jogo que nos questiona a todo momento que tipo de magos nós somos. Como eu disse em um outro artigo, isso significa muita experimentação. E como todos nós já sabemos, sideboard é um dos aspectos mais variáveis do jogo pois depende muito do nosso oponente. Só não coloquem Veto de Dovin no side e lembrem do texto completo dos Fogos da Invenção. Existe uma linha tênue em que a construção de decks deixa de se tornar uma sinergia e o deck parece "lutar" contra si mesmo. Mas isso é um artigo pra outra semana.

Obrigado pela atenção e vamos às forjas!

P.S.: Agradecimentos ao juiz Raimundo de Presidente Prudente pela ajuda com a parte das regras, melhor pessoa <3.

Comentários